Notícias

Poupar com o "toma lá, dá cá" do consumo colaborativo

14 dezembro 2015
consumo colaborativo

14 dezembro 2015

O carro, a casa, as roupas, os móveis, os objetos antigos e até o tempo. Há tanta coisa que pode, afinal, rentabilizar na sua vida.

O que pode partilhar

Para quê viajar sozinho num carro com 5 lugares, quando pode partilhar as despesas de combustível e portagens com outros passageiros que procuram o mesmo destino? E para quê gastar dinheiro com um canalizador quando pode encontrar um profissional disponível para arranjar os canos da sua casa em troca de umas explicações de inglês para o filho? Os seus conhecimentos, as suas competências profissionais, os seus dotes artísticos e os seus bens podem ser trocados por outros tantos que lhe façam falta, sem gastar dinheiro. Basta encontrar a pessoa certa e partilhar.

Muitas plataformas eletrónicas permitem cruzar os seus interesses com as necessidades de outros consumidores, promovendo a partilha de bens ou serviços. Você reduz as despesas e os outros consumidores também. Todos ganham.

O carro
Pode divulgar na plataforma de partilha de carros o dia previsto para a viagem, o local de partida e o destino, o número de lugares disponíveis e o preço que cobra pela ocupação de cada lugar. Os utilizadores satisfeitos pontuam o perfil do condutor e a sua reputação virtual é publicitada junto ao seu perfil. Sites: 

  • www.boleia.net;
  • www.blablacar.pt;
  • www.galpshare.pt;
  • www.pendura.pt;
  • www.umcoche.com.

A casa
Em Portugal ou no estrangeiro, pode encontrar uma casa disponível para passar férias, beneficiando de todo o recheio e das informações que os residentes lhe podem deixar sobre o destino. Simultaneamente ou não, ceder-lhes-á a sua casa (habitação permanente ou segunda casa) para que essa família desfrute de igual comodidade em visita a Portugal. Pode também optar pelo arrendamento da sua casa para esses períodos de tempo, se não pretender usufruir de serviço semelhante. Sites: 

  • www.trocacasa.com;
  • www.airbnb.pt;
  • www.housetrip.pt;
  • www.homeaway.pt.

Os bens
Roupa de bebé, computadores, telemóveis, instrumentos musicais, ferramentas e até bicicletas, motos e carros podem ser trocados em plataformas criadas para cruzar os diferentes interessados, promovendo a troca gratuita de bens. Sites: 

  • www.troca-se.pt;
  • www.bancodetrocas.pt;
  • www.trocasonline.com;
  • www.trocagratuita.com;
  • www.bookcrossing.com. 

O carro alugado
Desde que tenha uma carta de condução válida, pode inscrever-se nestas plataformas, escolhendo a data, a hora e o local para alugar uma viatura. Seleciona o parque de estacionamento em que a vai levantar e ela lá estará, com chave no interior, pronta para ser desbloqueada pelo seu cartão de acesso. O tarifário já inclui combustível e parquímetros. No final da utilização, deixa a viatura do parque de estacionamento definido e ela passará a estar disponível para o próximo utilizador. Só está disponível em Lisboa e no Porto. Sites:

  • www.mobcarsharing.pt;
  • www.citydrive.pt;
  • www.cityzenn.com.

O sofá
Sem receber igual serviço em troca, pode disponibilizar o seu sofá para a dormida de um viajante a custo zero. Neste caso, apenas beneficia da interação cultural com o viajante. Se viajar, poderá procurar oferta igual na plataforma eletrónica. Site: 

  • www.couchsurfing.org.

O tempo
Pode inscrever-se numa das 29 agências do "Banco de Tempo" já abertas em Portugal. Quando precisar de um serviço, contacta essa agência à procura de outro membro que o possa prestar. Terminado o serviço, passa um cheque de tempo ao membro prestador, que o deposita no Banco de Tempo e fica com esse crédito disponível na sua conta. Esse tempo poderá depois ser usado quando solicitar serviços a qualquer outro membro do Banco de Tempo. Site: 

  • www.bancodetempo.net/pt.

O que já não precisa
Nunca as vendas de bens em segunda mão foram uma prática tão comum. Cada utilizador define o preço para o artigo que disponibiliza, podendo também sugerir a sua troca por outro bem. Sites: 

  • www.olx.pt;
  • www.custojusto.pt.