Notícias

Lufthansa compensa passageiros com 1200 euros

A transportadora aérea não apresentou provas que sustentassem o argumento de que o atraso no voo fora provocado por circunstâncias extraordinárias e indemnizou o nosso associado.

23 janeiro 2018
Lufthansa compensa passageiros com 1200 euros

Thinkstock

Carlos Dias e a esposa preparavam-se para viajar de Moscovo para Munique quando depararam com um atraso no voo. Perderam a ligação para Lisboa e só conseguiram embarcar no dia seguinte, com o transtorno acrescido de uma escala no Porto, que não estava inicialmente prevista.

Após a chegada, o nosso associado confrontou a Lufthansa. A transportadora explicou que o atraso tinha sido provocado por um motivo de força maior (um passageiro que se sentiu indisposto) e recusou indemnizar Carlos. Assumiu apenas as despesas com a alimentação, o transporte e o alojamento.

Desagradado com esta atitude, Carlos reforçou a sua reclamação junto da Lufthansa e pediu a ajuda do nosso serviço de informação.

A Lufthansa acabou por dar razão à queixa e pagou a indemnização a Carlos. Justificou a ação como um "gesto de boa vontade".

Mas o nosso associado e a esposa tinham direito à indemnização. Pela lei, a transportadora aérea estaria dispensada dessa situação em circunstâncias extraordinárias, como instabilidade política, condições meteorológicas adversas, riscos de segurança, falhas inesperadas para a segurança do voo e greves. Outras eventualidades podem ser consideradas circunstâncias extraordinárias. Porém, a Lufthansa não poderia defender-se com uma suposta indisposição de um passageiro. Para usar esse argumento e não pagar a indemnização, teria de provar que o passageiro teve uma doença súbita e precisou de cuidados sem os quais a sua integridade física estaria em causa, originando o atraso do voo. Essas provas não foram apresentadas pela Lufthansa quando recusou a indemnização.

Uma vez que a distância entre o ponto de partida e o destino final da viagem era superior a 3500 km, o valor da compensação foi de 600 euros por passageiro. 

Se tiver um conflito de consumo com uma empresa, exponha a situação na nossa plataforma Reclamar. Aí pode encontrar casos semelhantes de outros consumidores que ajudem a resolver a situação. Também é possível recorrer aos nossos especialistas.

Ir para a plataforma Reclamar

 

 


Imprimir Enviar por e-mail