Dossiês

Travessias do rio Tejo com obrigações de segurança

03 maio 2012

03 maio 2012

Ao transporte fluvial de passageiros aplicam-se as mesmas regras do ferroviário. O passageiro deve viajar munido de título de transporte válido e a operadora tem de avisar sobre os horários e alterações.

A Transtejo e a Soflusa, por exemplo, adotam um código de ética segundo o qual os seus colaboradores devem evidenciar profissionalismo, respeito, honestidade, boa-fé e delicadeza no trato com os clientes. Os colaboradores devem ainda garantir a entrega aos donos de objetos e documentos que tenham sido perdidos a bordo de navios, nas estações ou noutras instalações.

Os profissionais devem garantir a segurança de pessoas e bens e cumprir os procedimentos de proteção, assistência e socorro a sinistrados e salvamento de náufragos.

Em todas as bilheteiras nas estações, há um livro de reclamações e impressos para mensagens dos passageiros, facultados no horário de funcionamento da bilheteira, para registar as suas reclamações.