Dicas

Ouvidos: como protegê-los dos mergulhos e festivais de verão

08 julho 2019
proteger ouvidos

08 julho 2019
Quem pratica mergulho, surf ou natação, deve usar tampões nos ouvidos, sobretudo se sofre de otites recorrentes.

Sem proteção, a água é retida no canal auditivo externo. Mais frequentes em praticantes de desportos aquáticos, como mergulho, surf e caça submarina, podem desenvolver-se infeções, otites externas. Habitualmente provocadas por bactérias ou fungos, as otites são tratadas com anti-inflamatório e antibiótico oral ou em gotas. 

Não exagere na higiene do ouvido: a cera funciona como uma barreira protetora. O ouvido deve ser lavado apenas na zona externa, com água e sabão. Não tente retirar a cera com um cotonete ou outro objeto. Quando anda muito tempo na água e mergulha, se a água não for retirada, pode danificar a barreira de cera, que deixa de ser eficaz a proteger. Se a água penetrar no ouvido, limpe-o com uma toalha e deite-se sobre o lado do ouvido afetado para que a água saia.

Caso sofra de eczema crónico no canal auditivo externo e se o tímpano estiver preservado, a água do mar não faz mal, pois o seu iodo ajuda a tratar. Numa piscina com cloro, que irrita a pele e provoca comichão, tem de proteger o ouvido.

Nos festivais de verão, o ruído acima de 80 decibéis já pode lesar o ouvido interno. Expor-se a este nível de ruído pode acelerar o desenvolvimento de problemas auditivos, provocar um zumbido muito incomodativo e, por vezes, surdez súbita. Permanecer muito perto das colunas de som, ter o organismo fragilizado pela exposição solar, desidratação, efeitos do álcool e outros estimulantes e cansaço acumulado aumentam a probabilidade de sofrer aqueles efeitos.