Notícias

Vacinas: precaução indispensável

03 março 2019
vacinas

03 março 2019

As vacinas protegem as crianças das doenças ditas “infantis”, que poderiam evoluir para problemas graves ou mortais. Se ainda tem dúvidas sobre os benefícios das vacinas, veja este vídeo.

Programa Nacional de Vacinação

À nascença

VHB - vacina contra a hepatite B (1.ª dose)

2 meses

DTP - vacina contra a difteria, tétano e tosse convulsa (1.ª dose)
Hib - vacina contra as doenças causadas por Haemophilus influenzae tipo b (1.ª dose)
VIP - vacina contra a poliomielite (1.ª dose)
VHB (2.ª dose)
Prevenar 13 - Streptococcus pneumoniae (1.ª dose)

4 meses

DTP (2.ª dose)
Hib (2.ª dose)
VIP (2.ª dose)
Prevenar 13 - Streptococcus pneumoniae (2.ª dose)

6 meses

DTP (3.ª dose)
Hib (3.ª dose)
VIP (3.ª dose)
VHB (3.ª dose)

12 meses

VASPR – vacina contra o sarampo, parotidite e rubéola (1.ª dose)
MenC – vacina contra a doença meningocócica C
Prevenar 13 - Streptococcus pneumoniae (3.ª dose)

18 meses

DTP (4.ª dose)
Hib (4.ª dose)
VIP (4.ª dose)

5 anos

DTP (5.ª dose)
VIP (5.ª dose)
VASPR (2.ª dose)

10 anos

HPV – vacina contra doenças causadas pelo Vírus do Papiloma Humano (2 doses)
Td - vacina contra o tétano e difteria (reforço)

25 anos (e de 20 em 20 anos até aos 65. Depois de 10 em 10 anos)

Td (reforços)

Além das alterações na administração da BCG, as principais novidades no Programa Nacional de Vacinação são:

  • as grávidas terão acesso à vacina da tosse convulsa para poderem transmitir a imunidade aos filhos, deixando-os protegidos entre o nascimento e a administração da primeira dose, a partir dos dois meses;
  • a vacina contra o Vírus do Papiloma Vírus Humano (HPV) passará a atuar sobre nove genótipos, ou seja, mais do dobro dos que agora estão incluídos e em idade mais precoce. A vacinação passa a ser feita aos dez anos.
  • aos dois e aos seis meses de idade as crianças serão picadas apenas uma vez e protegidas contra a hepatite B, meningite B, difteria, tétano, tosse convulsa e poliomielite, todas juntas numa vacina hexavalente.
  • a vacina do tétano vai garantir proteção durante o dobro do tempo atual, ou seja, ao longo de 20 anos. Para permitir memorizar melhor o esquema vacinal, todas as crianças passam a ser vacinadas, além dos primeiros meses, sempre aos cinco e aos dez, permitindo aos pais reduzirem possíveis esquecimentos. A primeira renovação deve acontecer aos 25 anos e daí em diante a cada 20 anos até aos 65. Depois passa a ser de dez em dez anos.