Alertas

Imaginarium vende eletrodomésticos como brinquedos

10 dezembro 2013 Arquivado

10 dezembro 2013 Arquivado

A Imaginarium anuncia uma tostadeira e uma máquina de bolinhos como brinquedos. Já denunciámos à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica para que retire os produtos das prateleiras.

No catálogo em papel, a Imaginarium anuncia 3 pequenos eletrodomésticos como brinquedos. Comprámos a Sandwich Maker (uma tostadeira) e a Energy Bar Maker (uma máquina para fazer barras energéticas), ambas da marca ITsmagical, e concluímos que, segundo a lei, pelo risco elétrico que apresentam para crianças, não podem ser consideradas brinquedos. O catálogo anuncia ainda uma máquina de bolinhos, a Mini Cupcake Maker, igual à que comprámos no Toys "R" Us e que já denunciámos.

Quem comprou, pode devolver o produto e solicitar a restituição do dinheiro ou trocar por outro bem, pois desconhecia os perigos de um produto que afinal não é um brinquedo. Os equipamentos podem estar bem concebidos e fabricados para o fim a que se destinam quando utilizados por adultos. É o que estamos a analisar em laboratório.

As embalagens são muito claras, apesar dos avisos ("só para adultos" e "atenção, isto não é um brinquedo") surgirem em letra muito pequena. Já os manuais de instruções dos equipamentos deixam dúvidas: nalgumas zonas, indicam que não devem ser utilizados por crianças, mas noutras referem que estas podem manipulá-los, desde que haja supervisão de um adulto. Além disso, no catálogo, estes produtos vêm indicados como brinquedos para crianças ("Junior <12 – prepara o teu lanche"), o que contradiz a informação na embalagem.

Segundo a lei dos brinquedos, fornos elétricos, ferros de engomar ou outros produtos elétricos com uma tensão nominal superior a 24 V não podem ser considerados brinquedos. Os brinquedos têm de obedecer ainda a requisitos específicos de segurança: as superfícies acessíveis não podem provocar lesões por contacto e os líquidos, vapores e gases num brinquedo não podem atingir temperaturas ou pressões suscetíveis de provocar queimaduras ou outras lesões, exceto se forem indispensáveis ao funcionamento correto do brinquedo, entre outros aspetos.

A lei responsabiliza ainda o distribuidor, neste caso a Imaginarium, que, com base nas informações de que dispõe e enquanto profissional, não deve expor, nem fornecer produtos que saiba não cumprirem as obrigações de segurança.