Dossiês

Segurança online: como proteger os mais novos

06 outubro 2014
Segurança online

06 outubro 2014

Mais de 60% das crianças e dos adolescentes fala diariamente em salas de conversação online. A pensar na sua proteção, a União Internacional das Telecomunicações (UIT) lançou o projeto global Child Online Protection.

Dos 8 aos 12: a importância dos perfis privados

A partir dos 8 anos, é preciso ensinar os cuidados básicos a adotar na Internet.

  • No mundo online, facilmente uma pessoa se faz passar por outra. Por isso, é importante rejeitar os pedidos de amizade de desconhecidos.
  • Os dados pessoais devem ser mantidos privados. O seu filho pode, por exemplo, usar uma alcunha nos jogos online e nos chats. Alerte-o para falar consigo sempre que lhe solicitarem o nome, a morada, o número de telefone ou outro dado pessoal.
  • A regra da privacidade aplica-se também ao perfil das redes sociais e à conta de utilizador, por exemplo, dos jogos online. Faça essa configuração juntamente com o seu filho. Assim garante que está bem feita e ensina-o a criar contas seguras.
  • O nome de utilizador e a palavra-passe são secretos. Não devem ser revelados nem aos amigos.
  • As crianças podem sentir curiosidade em encontrar alguém que conheceram online. Explique ao seu filho que, nesse caso, deve falar consigo primeiro. Se concordar com o encontro, acompanhe-o. Marque num local público e com muitas pessoas por perto.
  • Uma vez que se publica um post (foto, vídeo ou texto), torna-se muito difícil retirá-lo da Internet. Além disso, pode ser comentado e replicado por outras pessoas. A impressão digital online está acessível a conhecidos e a desconhecidos: pais, professores e predadores sexuais. Ensine o seu filho a ter cuidado com o que partilha, pois deixa de controlar o conteúdo.
  • Uma fotografia colocada online por um amigo não é nossa. Não devemos partilhá-la sem a respetiva autorização nem sem dizer de quem é.
  • Peça ao seu filho para avisá-lo se alguém escrever algo ameaçador, rude, com conteúdo ofensivo ou inapropriado. Ensine-o a abandonar de imediato os sites que indicam “só maiores de 18 anos” e a selecionar as teclas “control-alt-delete” caso não consiga sair da página. Configure o motor de busca para bloquear os conteúdos destinados apenas a adultos ou instale software com filtros. Faça uma lista dos sites seguros e engraçados que o seu filho pode visitar.
  • É importante verificar se determinado jogo online é adequado à idade do seu filho. Encoraje-o a bloquear qualquer jogador que o deixe desconfortável. A gestão do tempo para jogar deve ser equilibrada, sem esquecer os trabalhos de casa, as atividades extracurriculares e os momentos em família.