Como testamos

Cadeiras de refeição para bebés: como testamos

24 novembro 2017
cadeiras de refeição

24 novembro 2017
Os testes avaliam a resistência, o conforto e a versatilidade das cadeiras. Uma parte dos testes é feita em casa, pelos pais.

As cadeiras altas de refeição para bebés são testadas de acordo com a Norma Europeia EN 14988, que define os requisitos de segurança. No teste são avaliadas as pequenas aberturas onde as crianças podem entalar os dedos; os bordos cortantes ou as pontas aguçadas onde se podem ferir; as partes pequenas que se podem destacar e ser engolidas; a eficácia do sistema de retenção; as instruções de utilização e os avisos legais.

Resistência da estrutura

A norma prevê a verificação da integridade da estrutura da cadeira para que, ao longo do tempo, a segurança não diminua com a utilização. Um produto é considerado perigoso quando não passa nestes testes. Os produtos que ainda se mantêm funcionais e com uma estrutura intacta, mas apresentam alguma parte partida (na sua estrutura), são penalizados.

Pais avaliam conforto e manuseamento

Uma parte do teste é feita pelos pais para avaliar o conforto e a facilidade de ajustar a cadeira, movê-la ou guardá-la (no caso de ser dobrável). Para testar a montagem, envolvemos a equipa experiente de laboratório. Pedimos a ambos que avaliem a limpeza, utilizando os mesmos produtos para o mesmo tipo de sujidade.

Versatilidade da cadeira

A versatilidade resume as possibilidades de adaptação de uma cadeira alta de refeição ao crescimento do bebé e a diferentes situações de uso. Algumas cadeiras são destacadas nos nossos testes porque podem ser utilizadas por um longo período de tempo, alterando o ajuste do apoio para os pés e do encosto. Uma cadeira alta "base" tem nota menos positiva nesta avaliação, mas nem por isso deixa de ser um bom produto. 


Imprimir Enviar por e-mail