Como escolher o melhor seguro para animais domésticos

Antes de contratar um seguro para o seu animal, veja as respostas às dúvidas mais frequentes.

O seguro para animais é obrigatório?

A lei apenas determina a obrigatoriedade de subscrição de um seguro de responsabilidade civil, com um capital mínimo de 50 mil euros, para cães de raças perigosas ou potencialmente perigosas. São considerados perigosos todos os cães que tenham mordido ou atacado uma pessoa ou outro animal e os cães que, devido ao seu comportamento agressivo ou fisiologia, sejam declarados como tal pelo seu detentor ou pela entidade competente. Adicionalmente, a lei define como potencialmente perigoso qualquer animal que, devido às características da espécie, comportamento agressivo, tamanho ou potência de mandíbula, possa causar lesão ou morte a pessoas ou outros animais, nomeadamente os que pertencem às raças Cão de fila brasileiro, Dogue argentino, Pit bull terrier, Rottweiler, Staffordshire terrier americano, Staffordshire bull terrier e Tosa inu, bem como os cruzamentos entre estas raças.

O que está coberto?

O seguro para animais domésticos é comercializado em pacotes predefinidos de coberturas e respetivos capitais. Presente em todas as apólices, a cobertura de responsabilidade civil paga os danos causados a terceiros pelo animal. Adicionalmente, os planos incluem ainda um conjunto de outras coberturas que permitem cobrir riscos ou garantir o pagamento de despesas normalmente associadas à propriedade de um animal de estimação, nomeadamente:

Despesas médicas veterinárias

Regra geral, esta cobertura permite o acesso a uma rede de cuidados de saúde animal que inclui cirurgias (incluindo medicamentos, implantes e próteses), internamentos, consultas, exames, tratamentos e vacinas, entre outros. Para aceder, o segurado deverá procurar um prestador em função da especialidade pretendida na rede de prestadores (normalmente disponibilizada no sítio da internet ou através do serviço de assistência telefónica), contactar diretamente o prestador e pagar o valor convencionado pelos serviços prestados.

Algumas apólices contemplam um plafond para estas despesas, por vezes apenas quando necessárias na sequência de um acidente. Esgotado esse plafond, poderá continuar a usufruir da rede médica, pagando os valores convencionados.

Caso o produto não tenha associada uma rede de serviços clínicos veterinários, o segurado paga o valor por inteiro ao prestador e posteriormente apresenta as despesas à seguradora, sendo reembolsado até ao limite do capital seguro.

Cirurgia

 A cobertura de Cirurgia reembolsa as despesas efetuadas com a cirurgia dos animais seguros na rede convencionada de prestadores, em consequência de acidente ou doença. Inclui a diária hospitalar, honorários médicos e de enfermagem, despesas de bloco operatório e as despesas relacionadas com a cirurgia (anestesia, análises, exames ou medicamentos) e com a sua preparação. Geralmente, esta cobertura fica sujeita a uma franquia de 10% e a períodos de carência de 30 e 90 dias em caso de acidente e doença, respetivamente.

Eutanásia ou funeral 

Em caso de falecimento, garante o reembolso das despesas com o funeral do animal. A eutanásia também está coberta, quando prescrita e efetuada por um veterinário por motivo de doença do animal seguro. Em regra, tem um período de carência de 60 ou 90 dias.

Desaparecimento 

Em caso de desaparecimento do animal seguro, a seguradora reembolsa as despesas efetuadas pelo segurado com a publicação de anúncios para promover a sua localização. Em alguns casos é a própria seguradora que se encarrega da publicação dos anúncios para ajudar à localização do animal, suportando os respetivos custos. Caso o animal seja encontrado a mais de 50 quilómetros da residência do segurado, suportam ainda as despesas com a sua recuperação.

Em regra, esta cobertura tem um período de carência, só podendo ser ativada 30 dias após a contratação do seguro, e apenas quando o animal esteja desaparecido há mais de 72 horas.  

Guarda do animal 

Através desta cobertura, caso o segurado necessite de cuidados hospitalares e tenha de ausentar-se por um período superior a 48 horas, a seguradora suporta as despesas com a guarda do animal em estabelecimento adequado durante o período de internamento e de convalescença. Excluídos ficam os gastos de alimentação e higiene do animal. Alguns planos poderão apresentar um máximo diário ou um período máximo de estadia.

Coberturas adicionais

 Além das anteriores, todos os seguros disponibilizam ainda um conjunto alargado de coberturas complementares. Assistência e aconselhamento telefónico, transporte de urgência do animal, defesa jurídica ou regresso antecipado por morte do animal são algumas delas. Também o acesso a uma rede de prestadores de serviços especializados para animais com descontos em alimentação, banhos e tosquias, brinquedos e ainda petsitting (serviço de companhia), grooming (embelezamento) ou dogwalking (passeio do cão).

O que não está coberto?

As apólices incluem uma extensa lista de situações que não estão abrangidas pelas coberturas do seguro, como os danos causados pelo animal durante a participação em competições ou concursos, bem como os que forem causados por não serem cumpridos os programas de vacinação obrigatórios.

Já no caso das despesas veterinárias, algumas apólices excluem patologias como a displasia da anca, o tratamento da Leishmaniose, as doenças epidémicas ou do foro estomatológico, bem como a vacinação ou a realização de cesarianas.