Como testamos

Detergentes para máquina da roupa: como testamos

29 outubro 2021
Despejar detergente na tampa para lavar roupa na máquina

Submetemos os detergentes a ensaios que revelam como se portam a remover sujidade e nódoas, a preservar a cor e a restituir a brancura dos tecidos.

Para ajudar a escolher o detergente, submetemos todos os produtos a ensaios que revelam como se portam a remover sujidade e nódoas e a preservar as cores. No caso dos detergentes universais, ou seja, para todo o tipo de roupa, também verificamos se não deixam os tecidos encardidos e até que ponto restituem a brancura original. Por combinarem vários produtos químicos, verificamos e quantificamos a presença de ingredientes com grande impacto no meio ambiente. Investigamos os detergentes a fundo com uma metodologia cada vez mais exigente no laboratório. Além do preço de cada lavagem, calculamos quanto custa utilizar cada detergente durante um ano. No cálculo, assumimos três lavagens semanais com detergente universal e uma lavagem com detergente para roupa de cor.

Os fabricantes alegam que os produtos são eficazes mesmo a baixa temperatura. Conscientes da mais-valia económica e ambiental em não usar ciclos de lavagem com água quente, efetuamos os testes com água a 30ºC. Não desperdiçamos detergente: usamos a dose recomendada por cada marca para roupa medianamente suja e água de dureza média. Este é o cenário mais frequente em casa e o que serve para o cálculo do número de doses indicado nas embalagens dos detergentes universais.

Eficácia de lavagem contra todas as nódoas

Medimos a percentagem exata de remoção de sujidade. Não é fácil encontrar um detergente que remova com sucesso todos os tipos de nódoas. Alguns produtos conseguem resultados bastante positivos nas manchas mais comuns. Avaliamos a eliminação da sujidade em três categorias: enzimática, gordura e oxidável. Usamos 15 nódoas destas categorias e verificamos como funciona o detergente a remover cada uma. O teste inclui sujidade tão conhecida como:

  • bebidas (sumo de maçã, vinho e café);
  • comida (maionese, tomate, chocolate, papa de bebé, batata e molho de salada);
  • nódoas diárias (batom, suor, sangue, relva e fuligem);
  • gordura (óleo mineral e gordura alimentar).

Proteção das cores

Avaliamos a capacidade de manter tecidos coloridos no estado inicial. Durante o teste, os tecidos são lavados consecutivamente para calcular o desvio colorimétrico antes e após a lavagem. Verificamos alterações de cores fortes (verde, violeta, laranja e preto) e de tons pastel (azul, verde, amarelo, rosa) através de um fotocolorímetro antes e depois de 20 lavagens.

Brancura e encardimento

Com um fotómetro, medimos a brancura e o encardimento dos tecidos antes e depois de seis lavagens consecutivas, face aos tecidos brancos originais e de composição diversa: algodão, poliéster, poliamida e mistura algodão/poliéster. O grau de brancura é sensível aos agentes de branqueamento no detergente. Este tipo de ingrediente “mascara” o tecido e leva a que a roupa pareça mais branca ao refletir a radiação ultravioleta. Avaliamos do mesmo modo o encardimento dos tecidos.

Desempenho ambiental

Dada a crescente relevância do impacto global dos produtos, contemplamos vários parâmetros sobre o desempenho ambiental, dado que muitos detergentes contêm substâncias perigosas. A avaliação baseia-se sobretudo nos critérios com uma influência decisiva no impacto do produto na fase de uso. Afinal, os ingredientes são arrastados pela água de lavagem e a maioria acaba no meio hídrico.

Os fabricantes são obrigados a divulgar online a lista de ingredientes e o endereço do site deve constar no rótulo da embalagem. Infelizmente, várias marcas não têm cuidado. E quando o fazem, por vezes, a lista não é atualizada e reporta a fórmulas antigas. Para conhecer a extensão do impacto de cada ingrediente indicado, recorremos ao conhecimento de peritos com longa experiência na avaliação das propriedades dos produtos químicos e dos riscos para o ambiente. Cada substância é pontuada, tendo em conta a toxicidade aquática, a biodegradação e a bioacumulação. Solventes, conservantes, branqueadores, tensioativos e perfumes são exemplos de ingredientes no nosso radar. Penalizamos a presença daqueles sem qualquer ação no desempenho do detergente, como é o caso da maioria das fragrâncias. Mas não ficamos por aqui. Medimos também a concentração de ingredientes que, apesar da sua ação na lavagem, poderiam ser substituídos por outros com menos estragos para saúde e para o ambiente.

A certificação com o Rótulo Ecológico Europeu é valorizada: trata-se de um rótulo de excelência, baseado em elevados padrões ambientais ao longo do ciclo de vida, desde a extração da matéria-prima, passando pela produção, até à distribuição e eliminação.

Por fim, analisamos a embalagem. Verificamos o nível de enchimento de cada embalagem, o peso, a incorporação de materiais reciclados, a indicação para a deposição correta no ecoponto e a possibilidade de comprar recargas para a embalagem original.