Notícias

Máquinas de café automáticas: prós e contras

01 janeiro 2016
máquinas de café automáticas

01 janeiro 2016

As máquinas automáticas são maiores e mais pesadas, mas tão fáceis de utilizar como os equipamentos de cápsulas, nos quais basta carregar num botão e esperar que o café fique pronto.

A maioria das máquinas automáticas já dispõe de painéis digitais com avisos e mensagens, o que torna a utilização mais intuitiva. Para os amantes de café, há duas grandes vantagens: o preço do café face às cápsulas e a possibilidade de selecionar e misturar os grãos preferidos. O baixo custo de utilização e a hipótese de moer o café apenas na altura em que vai ser consumido são outras vantagens. Também é possível produzir espuma de leite, ideal para cappuccinos e macchiatos.

As máquinas automáticas têm algumas desvantagens: o investimento inicial, a limitação para produzir um descafeinado e, por serem aparelhos de maiores dimensões, os cuidados a ter no ciclo de vida.

Em geral, os aparelhos são completos: dispõem de avisos de aquecimento pronto, esvaziar as borras e encher o reservatório de água, além de controlos de limpeza/manutenção. Grande parte dos programas de limpeza e descalcificação são automáticos.

Baixo consumo de eletricidade
No consumo energético, há três momentos a considerar: o aquecimento da máquina, o ato de tirar do café e o modo standby. Face ao preço do café, o consumo das máquinas não é significativo. Para aquecer e produzir o primeiro café, as que consomem mais são os aparelhos tradicionais devido ao aquecimento da resistência. Para preparar o segundo café, as automáticas são as que mais consomem porque, apesar de a resistência já estar quente, o café tem de ser moído.

Imprimir Enviar por e-mail