Guia de compras

Fornos pirolíticos: guia de compras

26 novembro 2018
fornos piroliticos

26 novembro 2018

Excelentes cozinheiros, têm utilização intuitiva e, no final, limpam-se sozinhos. Mas a limpeza pirolítica não deve ser feita a cada utilização, e sim de tempos a tempos, segundo as indicações do fabricante.

Os fornos pirolíticos são “caixotes” com pouco menos de 60 centímetros de altura por outros tantos de largura, e profundidade na casa dos 55 a 58 centímetros. Com a porta aberta, deve contar com um metro de envergadura total. Portanto, nada de muito diferente face aos fornos convencionais.

O que os distingue é a tecnologia que permite limpar sem esforço. Ao ligar a função pirolítica, a porta mantém-se bloqueada e o interior atinge temperaturas elevadas (na ordem dos 500°C), que reduzem as gorduras e outras sujidades à forma de cinza. No fim, basta um pano húmido para retirar os resíduos.

Há fornos que oferecem vários graus de limpeza, uns mais intensos do que outros, e, por isso, com durações diferentes. Mas, atenção, a limpeza pirolítica deve ser efetuada segundo as indicações da marca. Algumas recomendam-na a cada dois ou três meses, outras a cada 10 utilizações. O melhor é ver no manual de instruções.

Em todos estes fornos é possível retirar a porta para uma limpeza mais profunda. Também os há que permitem desmontar os componentes e os vidros da porta. O objetivo? Limpar ainda melhor.

Os modelos testados vêm equipados com grill e ventoinha. Cerca de metade tem a função de aquecimento inferior e a maioria a de descongelação.

Derradeiro conselho antes de comprar: procure saber se a potência elétrica contratada que tem em casa admite um aparelho com estas características.