Dicas

Placas de cozinha a gás: mau desempenho em lume brando

01 dezembro 2014
placas

01 dezembro 2014

Bons auxiliares nas tarefas básicas dos tachos e panelas, são menos eficientes do que as placas de indução.

Em tarefas básicas, as placas de cozinha a gás têm bom desempenho. Estes aparelhos estão preparados para o gás natural, mas, se os injectores forem mudados, podem ser adaptados a outros tipos de gás. 

Arroz doce pegado ao tacho

  • A maioria das placas tem um queimador pequeno e, pelo menos, outro médio. Algumas oferecem dois médios e um grande, que podem ser de chama dupla ou tripla. São sobretudo úteis para quem cozinha com grandes frigideiras ou com wok. Todos têm isqueiro eléc­trico integrado e vêm equipados com válvulas de se­gurança. Se a cha­ma se apagar, o gás é cortado de forma automática.
  • Panquecas, arroz doce, molho béchamel e bifanas exigem técnicas de preparação diferentes. As panquecas devem ficar amarelas por igual e sem os bordos queimados ou o centro cru, e, em regra, estas placas correspondem ao esperado. O arroz doce já exige lume brando por um período longo. No molho béchamel, é possível obter boa consistência e textura. As bifanas precisam de lume forte em pouco tempo. Mas não se distraia com as placas a gás, para evitar que certas partes da car­ne fiquem queimadas.

Petiscos sem acidentes

  • Ao usar um aparelho a gás, cozinhe com uma janela aberta ou um dispositivo de evacuação ligado (por exemplo, um exaustor).
  • Não escolha recipientes muito largos ou pequenos. As chamas devem cobrir a parte inferior sem tocarem as laterais.
  • Nunca deixe os cozinhados ao lume sem vigilância. A chama pode propagar-se a um material combustível e originar um incêndio.
  • Para evitar acidentes, não deixe os mais pequenos brincarem perto dos tachos e panelas. Evite que as pegas fiquem viradas para fora.
  • Se comprar uma placa a gás, preveja um bom espaço para a instalação, com alguma área livre à volta e sem paredes laterais nem gavetas por baixo.