Dicas

Garantia: reparação, troca, desconto ou reembolso são soluções

03 março 2021
vendedor com casal numa loja a apresentar documento

A extensão da garantia pode não ser gratuita e nem sempre se justifica esse custo extra. Antes de aderir, pondere se o uso que quer dar ao bem justifica esse gasto. Saiba o que diz a lei.

Extensão de garantia nem sempre vale a pena

Ao adquirir um bem, pode ser-lhe proposta uma extensão da garantia. A garantia extra, ao contrário da legal, pode não ser gratuita. Assim, antes de aderir, pondere se o pagamento dessa quantia se justifica. Tenha em conta o valor do bem que vai adquirir e o período de prolongamento da garantia. Por vezes, o uso que se pretende dar ao bem não justifica o pagamento de valores adicionais. Além disso, a extensão da garantia nem sempre inclui os mesmos direitos dos dois anos iniciais. Reparar ou substituir um produto avariado pode implicar alguns custos, por exemplo.

Para evitar problemas na hora de acionar a garantia extra, além da fatura de compra ou das alternativas anteriormente referidas, que deve guardar, peça um comprovativo – pode ser uma declaração escrita – com a duração e as condições da garantia extra. Por exemplo, se é gratuita ou não, que despesas acarreta em caso de reparação ou substituição do bem (transporte, mão de obra, material) e as situações que não estão abrangidas. 

Algumas lojas propõem, na altura da compra, a subscrição de um seguro para proteger os produtos em situações não cobertas pelas garantias (legal ou extra), como furto, roubo e avarias. Temos recebido inúmeras queixas sobre seguros de eletrodomésticos. Muitos contemplam exclusões abusivas, por vezes, desrespeitadoras da lei. Estes seguros poderiam ser um bom complemento à garantia, mas, naquelas condições, são apenas inúteis e não devem ser contratados.