Notícias

Bancos chumbam nos conselhos para a reforma

20 outubro 2015 Arquivado
ppr

20 outubro 2015 Arquivado

A PROTESTE INVESTE visitou 50 balcões nos cinco maiores bancos nacionais. Todos chumbaram no teste, devido às recomendações pouco adequadas ao tipo de perfil apresentado pelo cliente mistério.

No mês de setembro, a revista PROTESTE INVESTE vestiu a pele de um cliente mistério de 40 anos e foi bater à porta dos cinco maiores bancos nacionais: o BPI, o Millennium BCP, a CGD, o Novo Banco e o Santander Totta. No total visitámos 50 balcões. No bolso, levávamos 5000 euros com a finalidade de poupar para a reforma. Além disso, informámos os funcionários dos bancos de que pretendíamos fazer entregas com alguma regularidade.

Os resultados são preocupantes: os bancos chumbaram claramente no teste. Continuam a recomendar produtos desadequados ao perfil do investidor. Mas mais grave do que isto é indicarem ativos desajustados aos seus objetivos. Exemplificando: se alguém com 40 anos for a um balcão pedir um conselho para poupar para a reforma e lhe indicarem um depósito normal, que atualmente rende zero ou próximo de zero, poder-se-á dizer que é uma recomendação no mínimo desastrosa. E este tipo de aconselhamento foi frequente no nosso teste.

Outro erro comum foi sugerirem colocar o dinheiro em produtos financeiros complexos. Sabia que estes produtos só podem ser indicados a alguns clientes? É necessário um bom conhecimento do perfil do cliente para sugerir estas produtos. Pelo menos é o que dizem as diretivas comunitárias, ao que infelizmente os bancos continuam a não prestar atenção. Um produto complexo pode ter ações, matérias-primas, índices bolsistas, entre outros ativos. Por tudo o que foi dito acima também não se adequam a este perfil de investidor. São produtos de difícil compreensão do rendimento, não permitem fazer reforços, nem capitalizar ganhos a longo prazo, logo foi outro erro de palmatória.

O BPI foi o único banco que apresentou recomendações mais adequadas para este tipo de perfil e poupança sugerindo mais planos de poupança reforma (PPR) sob a forma de fundo. Contudo, também tentou vender um fundo imobiliário, o que não é muito indicado ao cenário apresentado, bem como um produto financeiro complexo Farmacêuticas EUR 2017, nos distritos de Braga, Porto e Leiria.
Consulte todos os resultados no portal PROTESTE INVESTE.