Dicas

Certificados de reforma não são PPR

02 fevereiro 2011 Arquivado

02 fevereiro 2011 Arquivado

Mais do que a maioria dos planos de poupança-reforma, os certificados de reforma nunca garantem o capital.

Conhecidos como “PPR do Estado”, os certificados têm na verdade muito poucas semelhanças com os planos privados, a começar pelo benefício fiscal.

Os titulares dos certificados de reforma podem deduzir 20% do montante aplicado até € 350, qualquer que seja a sua idade. As entregas correspondem a uma percentagem fixa do salário (2, 4 ou 6 por cento). Assim, só atingirá o limite máximo do benefício se tiver um rendimento mensal superior a € 3645 (se descontar 4%) ou superior a € 7292 (desconto de 2 por cento). Do ponto de vista fiscal, os certificados de reforma podem ser um complemento para quem já tenha um PPR, pois o benefício é cumulativo.

Entre agosto de 2009 e o mesmo mês de 2010, os certificados de reforma renderam bastante mais do que a maioria dos PPR, mas têm inconvenientes: apesar de serem produto do Estado, não garantem o capital e só permitem o re-embolso na reforma.

 

PLANOS DE POUPANÇA-REFORMA
CERTIFICADOS DE REFORMA

 Local

Seguradoras, bancos e sociedades gestoras de fundos
Entregas
Programadas ou não, com montantes mínimos
Mensais, segundo percentagem fixa do salário médio mensal
Benefício fiscal
Dedução de 20% do montante aplicado, até ao limite fixado por lei (€ 300 a € 400, em função da idade)
Dedução de 20% do montante aplicado, até 350 euros
Perfil de risco
Existem dezenas em Portugal com estratégias de investimento diferentes
Único para todos os investidores
Comissões
Subscrição, entrega, gestão, depósito, resgate e transferência
Não tem
Penalização por falta de entrega
Não há
Despesas de procedimento e administrativas
Capital garantido
Geralmente, só nos seguros
Não tem
Rentabilidade garantida
Geralmente, só nos seguros
Não tem
Resgate
Quando quiser, sujeito à penalização
Apenas na reforma ou em caso de invalidez total
Transferências
Quando quiser. Para outro PPR com um perfil e/ou entidade diferente. Custo até 0,5 por cento
Não permitidas. Capital gerido pelo Instituto de Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social

 


Imprimir Enviar por e-mail