Notícias

Questão do leitor: a dívida nacional é segura?

14 janeiro 2014 Arquivado

14 janeiro 2014 Arquivado

A crise política fez ressurgir as preocupações quanto à segurança das poupanças. A dívida pública será restruturada? O que aconteceria aos Certificados e às Obrigações do Tesouro?

Na atual conjuntura, é inquestionável que a dívida nacional é arriscada e tem rating de “lixo”. Caso contrário, a rentabilidade das Obrigações do Tesouro (OT) não seria mais do dobro da propiciada pelos melhores depósitos. Não há ganhos elevados sem risco! Quanto aos Certificados de Aforro (CA) e de Tesouro (CT), estes pesam pouco na dívida pública (5%), regem-se por legislação própria e estão na posse apenas de particulares. À partida, serão mais seguros porque numa restruturação poderiam beneficiar de um regime de exceção, mas nada garante que isso viesse a suceder.

Devo ficar longe da dívida pública?
Pensamos que não. Consideramos que a rentabilidade dos CT e OT já emitidos é atrativa, pois os investidores atribuem a Portugal um nível de risco que, a nosso ver, é excessivo. É improvável um cenário que implique perdas de capital por renegociação ou incumprimento do Estado. Contudo, por precaução não aplique mais de 25% das poupanças em dívida pública nacional. Consulte a análise completa no portal PROTESTE INVESTE.