Notícias

Poupanças para crianças: 4 estratégias para engordar o mealheiro

21 maio 2015 Arquivado
proteste investe

21 maio 2015 Arquivado

A PROTESTE INVESTE procurou ofertas bancárias para multiplicar as poupanças dos mais novos. Mas o rendimento é baixo. Conheça as melhores estratégias para garantir um mealheiro mais recheado.

Se visitarmos os bancos ou as suas páginas de internet, frequentemente encontramos o segmento jovens e as aplicações específicas para os mais novos. Vão desde contas à ordem ou contas a prazo até seguros de capitalização ou planos mutualistas. Dos 20 bancos mais conhecidos dos portugueses, cujos preçários a PROTESTE INVESTE analisou, apenas 13 apresentam produtos para este segmento.

Encontrámos 21 contas de poupança, com um rendimento médio de 0,7% líquido. A melhor proposta rende 1,6% líquidos (Banco Popular), seguida de 1,1% (Montepio). Ou seja, facilmente encontra depósitos para qualquer cliente com rendimento superior.

Além desta pesquisa, a equipa financeira também fez um teste prático num dos balcões de cada um dos seis maiores bancos para averiguar as recomendações dadas a quem pretendesse poupar para os filhos. Veja os resultados no portal financeiro.

4 soluções para um rendimento graúdo
A seguir apresentamos soluções para quatro cenários diferentes, mais rentáveis do que as contas para jovens e outros produtos geralmente propostos pelos bancos. As primeiras duas são para quem pretende ter o capital garantido e as duas seguintes são para quem está disposto a correr algum risco abdicando da garantia de capital.

  • Para quem está perto da data em que tenciona utilizar o capital: depósitos a prazo. A maior parte dos bancos tem depósitos mais rentáveis do que as contas específicas para jovens. Por exemplo, poderá aproveitar depósitos especiais para novos clientes ou então os depósitos on-line. Dessa forma, acede a taxas de juro mais elevadas.
  • Para quem está a mais de 3 anos de utilizar o capital e não quer abdicar da garantia de capital: Certificados do Tesouro Poupança Mais (CTPM). Para os pais que não querem correr risco e ter garantia de capital a médio e longo prazo, os Certificados do Tesouro Poupança Mais são a aplicação mais indicada. Contudo, deverão prescindir de liquidez no primeiro ano. Em termos anuais efetivos rende, pelo menos, 1,6% líquidos se mantiver durante os cinco anos do produto
  • Para as crianças que ainda estão longe de necessitar do capital e os pais tencionam fazer entregas de pequeno montante: um fundo misto. A estratégia potencialmente mais rentável no longo prazo é investir em ações e obrigações. E pode fazê-lo através de um fundo misto. Neste caso, não tem o capital garantido, nem mesmo na data em que pretende resgatar o montante acumulado. Mas, para um prazo alargado, superior a cinco anos, é a aplicação mais adequada e potencialmente mais rentável.
  • Para as crianças que ainda estão longe de necessitar do pé-de-meia e os pais tencionam fazer entregas elevadas: carteira de fundos PROTESTE INVESTE. Se o seu rebento ainda está longe de necessitar o capital, pode investir por mais de dez anos e tenciona fazer entregas de montante significativo (pelo menos 1000 euros), então o mais adequado é optar pela carteira de fundos da PROTESTE INVESTE. A nossa carteira neutra (metade aplicada em fundos de ações e outra metade em fundos de obrigações) conseguiu um resultado de 13,5% em 2014 e 9,4% em média anual nos últimos cinco anos.
Para mais informações, consulte a análise completa no portal PROTESTE INVESTE.

Imprimir Enviar por e-mail