Notícias

Investir em ouro é uma má opção

02 abril 2015 Arquivado

02 abril 2015 Arquivado

Aplicar em ouro é arriscado e nada garante que venha a valorizar-se. Mas, após a queda da cotação, o panorama alterou-se?

Os investidores que apostaram num cenário muito pessimista e aplicaram dinheiro em ouro, ao contrário da recomendação da PROTESTE INVESTE, registaram pesadas perdas nos últimos anos. Desde o máximo histórico acima 44 euros por grama em setembro de 2012, o preço do ouro caiu para menos de 30 euros em 2014. Uma perda aproximada de 30%. Só a recente depreciação do euro face ao dólar atenuou esta tendência e, no final de janeiro, o valor por grama tinha recuperado algum terreno, valendo cerca de 36 euros.

Oportunidade de compra?
Será que, após a queda do valor registada nos últimos anos, é chegada a altura para investir em ouro? Então, mas o ouro está agora “barato”? A resposta vale ouro, mas infelizmente, o metal dourado continua a ser extremamente difícil de avaliar. Muitos dos fatores associados à procura do ouro são pouco mensuráveis.

No entanto, o enquadramento atual é pouco favorável para este metal. Em primeiro lugar, os piores momentos da crise mundial e da zona euro já passaram. Em segundo lugar, não se vislumbram pressões inflacionistas. Em terceiro, os rendimentos gerados pelos mercados acionistas continuam a ser muito mais apelativos para os investidores. E, por fim, a expectativa de uma subida dos juros nos Estados Unidos também aumenta o leque de alternativas mais rentáveis que o ouro.

Portanto, a decisão de investir em ouro mantém-se bastante dependente da sua atitude. Só faz sentido se procura um refúgio, uma proteção do seu dinheiro contra uma catástrofe económica ou bolsista. Ao invés, se tem como objetivo rentabilizar mais racionalmente as suas poupanças, a compra de ouro será uma má estratégia.

Consulte a análise completa no portal PROTESTE INVESTE.


Imprimir Enviar por e-mail