Notícias

Futebol: 12 respostas sobre os negócios da bola

Transferências

Qual o valor das transferências?
As receitas com transferências de jogadores dos três grandes, todas somadas, equivalem a 1 Neymar e ¼, ou apenas a um Neymar, se deduzirmos comissões e outros custos. O total, em valor bruto, foi de mais de 280 milhões euros, ou de mais de 221 milhões, depois de cobradas as mais-valias. Ora Neymar, nunca é demais recordar, custou ao Paris Saint-Germain a módica quantia de 222 milhões.
O que é o fairplay financeiro?
 A notícia do ano no futebol veio de França, no começo desta época. O Paris St. Germain contratou o craque brasileiro Neymar por uns exorbitantes 222 milhões de euros. O clube é detido por um fundo de investimento ligado ao governo do Qatar desde 2011 e tem um historial de infringir as regras de fairplay financeiro (FFP) da UEFA, à medida que investe fortemente para tentar impor-se entre os outros colossos do futebol europeu.

Essas regras, aprovadas em 2010, são uma tentativa de garantir que o futebol europeu é mais sustentável financeiramente, e, ao mesmo tempo, impedir uma concorrência desleal, como por exemplo um clube quase insolvente oferecer salários que dificilmente pode suportar, tirando um benefício desportivo da irresponsabilidade financeira. O princípio básico é que os clubes não devem gastar mais do que o que ganham. Na sua forma inicial, a cada período de três anos, os prejuízos não podiam exceder os 5 milhões de euros. Mas as regras foram sendo aligeiradas. Passou a ser permitido aos donos dos clubes injetar até 30 milhões de euros para cobrir perdas (para o mesmo período de três anos) e foram isentas despesas com infraestruturas, futebol jovem e feminino.

As sanções pelo não cumprimento vão desde simples avisos ou multas, até à proibição de registar jogadores ou participar nas competições da UEFA. Mas é muito frequente que a abordagem seja, num primeiro momento, mais pedagógica. O FC Porto estava em incumprimento mas sofreu apenas sanções ligeiras (multa e limitação de inscrição de jogadores nas competições europeias), pois assinou em junho um acordo com a UEFA que define medidas de equilíbrio financeiro, desde a época que findou até às três seguintes (de 2016/2017 até 2019/2020). No mesmo âmbito, o Sporting fez em 2015 um acordo com a UEFA para a época de 2015/2016, que conseguiu cumprir.