Notícias

Dois bancos Finantia, mas um é fraude

21 outubro 2016
Esquemas fraudulentos

21 outubro 2016
O Banco Privado Finantia é uma fraude e não deve ser confundido com o Banco Finantia, uma entidade bancária devidamente autorizada.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) alertou recentemente para um falso Banco Privado Finantia a atuar em Portugal. Esta entidade, que usa uma designação semelhante ao Banco Finantia, não está autorizada nem registada junto da CMVM para exercer qualquer atividade de intermediação financeira. Já o Banco Finantia é um intermediário financeiro registado e autorizado a atuar em Portugal.

Quem tiver estabelecido qualquer relação comercial com o Banco Privado Finantia, deverá contactar a CMVM através do número 800 205 339 (linha verde), ou por e-mail para cmvm@cmvm.pt.

Sinais de alerta

Para que não seja a próxima vítima, fique atento aos sinais que podem indiciar uma fraude:

  • pedido de decisão imediata;
  • promessa de ganhos elevados sem risco;
  • ligação do investimento a mercados exóticos ou confidenciais;
  • solicitação de um pequeno depósito inicial;
  • afirmação de que não é necessária uma autorização ou registo da CMVM.

Caso o serviço ou produto seja oferecido na internet, teste os outros meios de contacto indicados no site e solicite uma descrição detalhada dos serviços que lhe são oferecidos, tal como documentação escrita sobre os mesmos. No nosso dossiê Armadilhas e Fraudes Financeiras encontra mais conselhos.

Em caso de dúvida, desconfie

Não invista o seu dinheiro em entidades que não conheça. Antes de investir, procure saber da idoneidade da empresa junto da CMVM, do Banco de Portugal ou contacte o nosso serviço telefónico de informação financeira (808 200 147 ou 218 418 789).
 
O dinheiro entregue a entidades não autorizadas não está abrangido por sistemas de proteção, como o Fundo de Garantia de Depósitos ou o Sistema de Indemnização aos Investidores.
 
Se a empresa estiver autorizada a exercer atividade, solicite sempre por escrito toda a informação que lhe seja prestada e exija cópias dos documentos assinados durante a fase de investimento.
 
Mesmo não sendo fraude, muitas vezes as promessas não correspondem ao que fica escrito no contrato. Se tiver que recorrer por via legal, o que conta é o que está escrito no contrato.