Notícias

Depósitos zero não! Aumente as suas poupanças

Com os depósitos a prazo a baterem no zero, os Certificados de Aforro longe dos seus dias de glória multiplicativa e a previsão de 1,1% quanto à taxa de inflação para 2017, é certo que as poupanças dos portugueses vão perder valor. Mas colocar o dinheiro debaixo do colchão não é a solução, embora a confiança nas instituições bancárias nunca tenha sido tão diminuta, cortesia de BES, Banif e, nódoa no melhor pano, até do gigante alemão Deutsche Bank. Para ajudar os portugueses a fazerem crescer as poupanças, criámos a ação “Depósitos zero não!”

Começar a poupar

Negociámos com o BNI Europa um depósito a prazo, investimento sem risco, com uma taxa de juro acima daquilo que paga a concorrência. Os não associados da DECO recebem 1,95% brutos (1,4% líquidos) e os associados 2% brutos (1,44% líquidos), e podem aplicar entre 1 000 e 10 mil euros. Os subscritores da PROTESTE INVESTE podem ir até 25 000 euros. Para o último valor, ao fim de um ano, recebem 360 euros de juros líquidos, contra cerca de 75 euros num normal depósito a 12 meses, cuja taxa média ronda os 0,3% líquidos. 

Uma segunda opção, também com risco reduzido, pois o capital está garantido, mas não os juros, é o seguro de capitalização Generali + Poupança, nossa Escolha Acertada. Rendeu ao ano 4,1% brutos nos últimos cinco anos e 3% em 2015, cobrando uma comissão máxima de 2,04 por cento. Negociámos com a Generali condições mais vantajosas. Assim, quem subscrever até ao final de 2016 não fica sujeito a comissões de subscrição durante o período em que detiver o produto. Terá, pelo contrário, um prémio de 0,3% se aplicar mais de 1 000 euros no período da ação, assim como um desconto nas comissões de resgate antecipado, se tal ocorrer nos primeiros anos. Mas, devido às vantagens fiscais, esta categoria de produtos é mais interessante ao investir por prazos superiores a 8 anos.

Por fim, indicamos uma opção com mais risco, mas também com maior potencial de ganhos: o fundo Optimize Seleção Base. Como nem capital nem rendimento estão garantidos, há que estar preparado para manter o investimento por um mínimo de 5 anos, de modo a compensar o sobe-e-desce das bolsas. Nos fundos, não há garantias de que o passado se repita, mas a nossa estratégia de base conseguiu um ganho médio anual de 9,8% nos últimos cinco anos, ou seja, 980 euros anuais por cada 10 mil investidos. Durante a ação, todos os consumidores recebem um prémio de 0,2% sobre o valor subscrito. Acresce um prémio anual de 0,2% se for associado DECO ou de 0,6% se for subscritor Proteste Investe, calculado face ao montante médio da carteira no ano anterior e pago em janeiro sob a forma de unidades de participação.