Notícias

Depósitos: os maiores bancos oferecem migalhas

19 setembro 2014 Arquivado

19 setembro 2014 Arquivado

Para conseguir as taxas de juro mais altas, até 2,3% a 1 ano, afaste-se dos grandes bancos da praça nacional.

Os rendimentos produzidos pelos depósitos não param de encolher. As últimas estatísticas do Banco de Portugal mostram que as taxas de juros oferecidas pela banca aos particulares estão ao nível de há quatro anos. Os Certificados de Aforro, que durante muito tempo fora produtos comparativamente pouco interessantes, rendem hoje o mesmo que o depósito a 1 ano mais rentável: 2,3% depois de descontar o imposto sobre o rendimento.

Para muitos não é fácil encontrar o depósito a prazo mais generoso: a oferta nacional inclui centenas de produtos. Em primeiro lugar, defina o montante que quer aplicar. É importante que não aplique todas as suas poupanças em depósitos. Mantenha apenas o montante que pretende para fundo de maneio.

Outro aspeto que deve ter em conta é se o depósito permite a mobilização antecipada, pois poderá surgir um imprevisto. No entanto, os depósitos que não permitem a mobilização antecipada geralmente proporcionam taxas superiores. O critério mais importante é, no entanto, a taxa: escolha a mais alta possível.

Na lista das instituições financeiras mais generosas estão bancos de menor dimensão, com poucos balcões, e os bancos que trabalham essencialmente através da Internet: ActivoBank, Banco Big, Banco Carregosa, Banco Finantia, Banco Invest, Banco Privado Atlântico Europa, Best Bank e PrivatBank. Porém, a maioria dos depósitos de taxas mais elevadas é exclusiva para novos clientes ou exige a entrada de novos capitais na instituição financeira.

A 12 meses, as melhores propostas são do PrivatBank e Banco Invest (2,3% líquidos). Consulte a análise completa no portal PROTESTE INVESTE.


Imprimir Enviar por e-mail