Notícias

Conta no estrangeiro: muitos entraves para poucas vantagens

18 junho 2015 Arquivado
proteste investe

18 junho 2015 Arquivado

É quase impossível abrir conta no exterior sem sair de casa. E mesmo indo até lá, nem por isso o processo se torna mais simples ou fácil.

Para investir no estrangeiro não é preciso viajar. Aliás, é tão fácil aplicar o dinheiro lá fora como cá dentro, seja em ações, fundos ou obrigações, por exemplo. Porém, abrir conta no exterior pode revelar-se uma árdua tarefa, cheia de obstáculos. E as vantagens que daí advêm são limitadas.

É possível abrir conta em divisas estrangeiras nos bancos presentes em Portugal e, assim, ganhar exposição direta às diferentes moedas. Esta estratégia só se justifica quando se procura apostar na apreciação da divisa ou porque a taxa de juro é superior à obtida em euros, no território nacional. Porém, a PROTESTE INVESTE considera que investir em fundos, como forma de exposição às apreciações cambiais, é uma solução melhor.

Outra vantagem apontada para justificar a abertura de contas no estrangeiro é a fuga ao fisco: levar património ou fortuna para países com menor incidência fiscal ou onde o sigilo bancário é mais apertado. Porém, o esforço da Autoridade Tributária na luta contra a fuga ao fisco tem vindo a aumentar, como é exemplo a obrigatoriedade de incluir a abertura de qualquer conta de depósitos ou de títulos no estrangeiro na declaração anual de IRS. Mesmo que não obtendo qualquer rendimento, é necessário declarar no anexo J a abertura dessas contas no exterior. Ou seja, os juros recebidos de depósitos no estrangeiro ao terem de ser declarados cá, significa que são alvo de tributação tanto no país de origem, como em Portugal.

A proteção contra o eventual colapso do  euro e a saída de Portugal da moeda única é também um motivo apontado para a abertura de conta lá fora. Além de ser uma possibilidade pouco provável, não acreditamos que tal cenário venha a acontecer, e como o Fundo de Garantia de Depósitos cobre até € 100 000 por depósito, continuamos a recomendar a constituição de depósitos em Portugal.

Teste prático
Embora as vantagens de abrir conta no estrangeiro sejam estreitas, a nossa equipa financeira tentou abrir uma conta lá fora, a partir de casa. Escolhemos países financeiramente sólidos, cujas divisas apresentem potencial de valorização, ou países que com o euro, tivessem uma economia robusta. A seleção recaiu na Suíça, Suécia, Estados Unidos da América, Reino Unido e Alemanha. Consulte os resultados no portal PROTESTE INVESTE.