Notícias

Certificados de Aforro: rendimento cai de 2,2 para 0,8 por cento

06 fevereiro 2015 Arquivado

06 fevereiro 2015 Arquivado

O Estado cancelou a série C dos Certificados de Aforro, mantendo as condições para quem já investiu. Foi também criada uma nova série para as subscrições feitas a partir deste mês.

Na série D, a taxa base é calculada pela soma da média da Euribor a 3 meses (dos últimos 10 dias) e 1 por cento. A soma destas 2 partes está limitada entre 0 e 3,5 por cento. Além da taxa base, haverá um prémio de permanência de 0,5%, atribuído entre o segundo e o quinto ano, e de 1% do sexto ao décimo ano. 

Assim, o rendimento da série D dos Certificados de Aforro está limitado entre 0 e 4,5% bruto, que é a soma de limite de 3,5% da taxa base, com o prémio de permanência máximo (1 por cento). Em termos líquidos, o rendimento anual nunca irá superar os 3,2 por cento.

Série D desinteressante
Para quem subscrever a série D em fevereiro, a taxa é de 1,058% bruta, o que em termos líquidos corresponde a 0,8 por cento. Ou seja, os Certificados de Aforro ficam a render praticamente o mesmo que os depósitos standard a 12 meses (0,7% líquidos). Além disso, o rendimento é praticamente idêntico à previsão da inflação para este ano (0,7%, segundo o Banco de Portugal). Aceda a uma simulação de rendimento anual efetivo no portal PROTESTE INVESTE.