Notícias

Certificados de aforro: manter séries B e C sem o prémio?

19 janeiro 2017 Arquivado
certificados de aforro

19 janeiro 2017 Arquivado
Com o fim do prémio fixo, de 1% na B e 2,75% na C, estas séries de certificados de aforro perderam algum interesse. Acompanhe os conselhos dos nossos especialistas.

O final de 2016 marca a extinção dos prémios fixos das séries B e C dos certificados de aforro, de 1% e 2,75% brutos respetivamente. O Estado criou estes prémios em 2012 numa tentativa de contrariar a fuga de subscritores devido à queda das taxas Euribor.

Este ano estas séries já não beneficiam de prémios fixos e o cenário das taxas de juro não melhorou. Aliás, continuam a descer e as novas subscrições de certificados de aforro estão novamente em queda. Como fica então o rendimento das séries B e C? Quem as tem deve mantê-las ou resgatá-las?

Pode manter a série B

Se tem a série B, mantenha. Em janeiro, apesar de a taxa bruta ter recuado cerca de 1%, em termos líquidos, ainda é de 1,4%, situando-se ao nível dos melhores depósitos a prazo. Com uma provável subida das taxas Euribor nos próximos anos, ainda que não a curto prazo, poderá superar os Certificados do Tesouro Poupança Mais.

A taxa dos Certificados de Aforro da série B tem por base a TBA, um indexante dos mercados monetários utilizado nos empréstimos ou noutras formas de dívida pública. Esta TBA é calculada com base na Euribor a três e a 12 meses.

Série C perdeu interesse

A partir de janeiro deste ano, os prémios de permanência são novamente aplicados, tendo em conta a antiguidade. Assim, consoante a data de subscrição da série, terá de somar à taxa base o respetivo prémio de permanência.
A série C foi criada em janeiro de 2008, pelo que terá o prémio máximo de 1,8% líquidos se subscreveu logo nesse mês; se subscreveu um ano depois, em janeiro de 2009, tem atualmente um prémio de 1,1% líquidos. Mas, por exemplo, se subscreveu em janeiro de 2010, o prémio já é apenas de 0,9%. E como da fórmula de cálculo do rendimento resulta uma taxa negativa, porque a Euribor a 3 meses ronda os -0,3%, o rendimento que recebe vem exclusivamente do prémio de permanência.

Assim, apenas quem aplicou entre 2008 e o início de 2009 tem um rendimento interessante. Se subscreveu esta série há oito anos ou menos terá um rendimento inferior a 1% líquidos. Nesse caso, recomendamos o resgate e a subscrição de Certificados do Tesouro Poupança Mais. Quem subscreveu, por exemplo, em janeiro de 2010 e está a 3 anos de resgatar, supondo que a Euribor sobe 0,2% ao ano, teria uma TAEL de apenas 1,4%, tanto quanto atualmente rende o melhor depósito a 12 meses. Não compensaria manter esta série.

Consulte os conselhos da nossa equipa de analistas financeiros no portal da PROTESTE INVESTE.

Imprimir Enviar por e-mail