Notícias

“Bitcoin é especulação”, diz Garry Kasparov

O mais lendário jogador de xadrez de todos os tempos, Garry Kasparov, disse à Proteste Investe na Web Summit em Lisboa, que as moedas virtuais são como o “dinheiro falso” e acrescenta que “tudo que seja anónimo não pode ser 100% seguro”.

20 novembro 2017
Kasparov

David Fitzgerald/Web Summit

A PROTESTE INVESTE conversou com Garry Kasparov, um dos maiores xadrezistas de todos os tempos, e perguntou-lhe o que pensava acerca das criptomoedas. O ex-xadrezista começou por dizer que “a popularidade da Bitcoin não o surpreende”, equiparando-a ao “dinheiro falso” que é “emitido em grandes quantidades pelos governos”. Kasparov chama-lhe “falso” porque cerca de “80% desse dinheiro fica nos mercados financeiros, nas bolsas de mercado, e nunca chega verdadeiramente às indústrias, servindo apenas os investidores”, comentou. Além disso, chamou à atenção para a falta de segurança  inerente ao investimento em criptomoedas: “tudo que seja anónimo não pode ser 100% seguro”, disse.

O ex-jogador, que nasceu em 1963 na República Socialista Soviética do Azerbaijão, acrescenta que com a evolução tecnológica e o consequente aumento do investimento no mercado online é “expectável, na atual era globalizada, o surgimento do dinheiro virtual, das criptomoedas como a bitcoin”.

Garry tornou-se campeão do mundo em xadrez com 22 anos, título que manteve até 2000. Em 1997, Kasparov ouviu a palavra xeque-mate vinda de um computador, o “Deep Blue”.

Atualmente, é embaixador da Avast, empresa checa de cibersegurança que o trouxe a esta edição da Web Summit para falar de segurança cibernética e de machine learning – inteligência artificial (AI). O novo conselheiro de AI disse, na sua apresentação, “que foi das poucas pessoas a enfrentar uma máquina”, considerando que a inteligência artificial “traz perigos e oportunidades”.

Pura especulação

O ex-campeão do mundo, que se diz “admirador de Winston Churchill e de Steve Jobs”, classifica a bitcoin como “um produto do mercado livre” e “onde estiver a oportunidade, estão as pessoas inteligentes para criar ferramentas e agarrar essa oportunidade”, disse.

Questionado sobre a possibilidade de as bitcoins servirem para melhorar a economia e até as vidas das pessoas, o ex-xadrezista duvida: “Não me parece, mas é um sinal, aliás um aviso”. E acrescenta, “se um fenómeno tão instável como a bitcoin é atraente atualmente é sinal de que toda a economia está num enorme estado de estagnação”. De resto, não investiria nas moedas digitais. “É pura especulação, não sou um investidor, apenas um antigo jogador profissional de xadrez e agora palestrante profissional”, responde o embaixador da Avast. Na sua opinião “investir é muito individual, depende do caráter das pessoas, se estão disponíveis para o risco, se estão disponíveis para especular”.

Crítico assumido do regime de Vladimir Putin, Garry Kasparov termina a entrevista com a PROTESTE INVESTE dizendo que “apostar em ferramentas eletrónicas pode dar muito dinheiro mas também podem levar o investidor à total ruína”. Portanto, investir em criptomoedas, “depende do apetite que cada investidor tem pelo risco”, concluiu a lenda do xadrez mundial.

 Se quer saber mais sobre as bitcoins, consulte o nosso artigo sobre o funcionamento das moedas virtuais.


Imprimir Enviar por e-mail