Notícias

Banco CTT desce spreads, mas mantém comissão injustificada

08 agosto 2017
Conheça a avaliação da Proteste Investe (DECO PROTESTE) aos 3 novos depósitos do Banco CTT.

08 agosto 2017
O Banco CTT desceu os spreads no crédito à habitação. Contudo, mantém uma comissão relativa à cobrança da prestação, o que a DECO condena. São € 2,08 por mês que não estão associados a nenhum tipo de serviço.

O Banco CTT desceu os spreads no crédito à habitação. Continua a ser uma solução competitiva, abaixo da média do mercado, mas não é a melhor proposta que pode encontrar. Existem alternativas com spreads um pouco mais reduzidos.

Simule e encontre o melhor crédito à habitação

Além disso, o Banco CTT continua a incluir nos custos associados ao crédito uma comissão pela cobrança da prestação, de 2,08 euros, que a DECO sempre contestou por não estar associada a nenhum tipo de serviço.

Spread baixo com condições

O crédito à habitação do Banco CTT disponibiliza spread que pode chegar aos 1,30% com venda cruzada de produtos. Para beneficiar desta taxa tem de domiciliar o seu ordenado e subscrever os seguros obrigatórios de vida e multirriscos.

Sem venda cruzada de produtos, o spread máximo mantém-se nos 3 por cento. O Banco CTT financia até 80% do valor de compra do imóvel e o prazo máximo do empréstimo é de 40 anos, desde que, no final do prazo, a idade de quem contrata não exceda os 75 anos. A nova oferta dá direito a uma bonificação no spread quando a relação financiamento/garantia é igual ou inferior a 65 por cento.

Uma comissão a mais

Quanto a comissões, o Banco CTT manteve os custos iniciais, cobrando € 582,40, que correspondem à avaliação, abertura do processo de crédito e formalização do contrato. O valor total das comissões iniciais situa-se também um pouco abaixo da média do mercado, que ronda atualmente 707 euros.

O Banco CTT inclui ainda nos custos € 2,08, por mês, pela cobrança da prestação, comissão esta a que a DECO sempre se opôs. Não existe nenhum tipo de serviço associado a este custo, pelo que não se justifica. As ofertas de crédito à habitação do Abanca, Banco BPI e do protocolo Deco/Banco Popular isentam o consumidor deste custo. Recentemente, o Bakinter também passou a cobrar a mesma comissão mensal, mas por 2,60 euros.

Solução simples

No que se refere ao spread e apesar da introdução de um novo fator de variação (relação financiamento/garantia), a solução de crédito à habitação do banco CTT continua a caracterizar-se pela simplicidade. Mas a escolha do melhor financiamento deve ser feita em função das taxas efetivas, que refletem todos os encargos relacionados com o empréstimo. Por exemplo, num financiamento de 100 mil euros a 30 anos (e o imóvel foi avaliado em 125 mil euros), contratar o crédito à habitação do Banco CTT:

  • sem venda cruzada de produtos, tem uma TAEG (Taxa Anual Efetiva Global) de 2,93%, o que resulta numa prestação mensal de 413,56 euros;
  • com venda cruzada de produtos, tem uma  TAEG de 1,82%, o que resulta numa prestação mensal de 333,50 euros. 

O crédito à habitação do Banco CTT é uma oferta competitiva e contribui para o aumento da concorrência neste mercado, em particular devido ao valor dos spreads e à simplicidade do produto.

Após as últimas alterações promovidas por alguns bancos, os valores dos spreads oferecidos nos créditos à habitação começam a estar abaixo dos 2 por cento.


Imprimir Enviar por e-mail