Notícias

Avaliação a pedido: LibertàGià

06 fevereiro 2014 Arquivado

Arquivado

Temos recebido alguns pedidos de esclarecimento sobre uma empresa que se chama LibertàGià, com sede no Parque das Nações, em Lisboa.

Esta entidade autodenomina-se como uma entidade italiana, com escritório em Portugal, que cria aplicações na Internet para resolver problemas do quotidiano. O negócio assenta numa estratégia de marketing multinível, muito similar a um esquema piramidal, em que são prometidos valores pecuniários e bens materiais em função do volume de vendas e da angariação de novos membros. O investimento inicial varia entre a gratuitidade (neste caso, a percentagem de comissionamento é reduzida) e os 5 999 dólares, tendo de ser renovado anualmente.

Mantenha-se afastado
Em regra, sempre que lhe exigirem um pagamento de entrada desconfie. No caso da LibertàGià, para recuperar o investimento inicial, terá que efetuar um volume significativo de vendas e angariações, o que lhe irá exigir, além da parte financeira, um elevado investimento de tempo.

Não existe qualquer garantia de que a entidade cumpra com todos os compromissos assumidos, uma vez que os produtos comercializados não são financeiros e assim a Libertàgià não é supervisionada pelos reguladores (Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e Banco de Portugal). Se ocorrer algum incumprimento contratual, terá que recorrer ao Ministério Público ou às autoridades que tem obrigação legal de dar seguimento à queixa (ASAE, PSP, GNR ou PJ). Neste caso, o processo poderá arrastar-se por muitos anos com encargos financeiros e emocionais.

Por se tratar de uma empresa internacional, poderá rapidamente desaparecer do país, perdendo-se o seu rasto. A probabilidade de perder uma parte significativa do capital investido é elevada. Assim, não recomendamos que invista na Libertàgià. Consulte o dossiê Armadilhas e Fraudes Financeiras no portal PROTESTE INVESTE.