Notícias

Aconselhamento financeiro: recomendações por maus caminhos

02 abril 2013 Arquivado

02 abril 2013 Arquivado

A PROTESTE INVESTE percorreu mais de dois mil quilómetros em busca dos melhores conselhos dos bancos nas localidades menos povoadas.

Falhas e mais falhas foi o que a PROTESTE INVESTE encontrou na investigação ao longo de mais de dois mil quilómetros para visitar quatro dezenas de balcões de bancos nas localidades mais isoladas de Portugal. Banco BPI, Banco Espírito Santo, Caixa Geral de Depósitos, Millennium bcp e Santander Totta, os cinco maiores bancos a operar em território nacional, foram os alvos do teste.

A PROTESTE INVESTE viajou por todo o país durante o mês de fevereiro à procura de soluções de investimento sob quatro capas de anonimato: 2 clientes-mistério de 35 anos, um com 5 mil euros e o outro com 50 mil euros, e mais 2 aforradores de 55 anos que também queriam aplicar 5 mil euros e 50 mil euros. Cada banco foi visitado 2 vezes pelo mesmo cliente-mistério, mas em localidades distantes.

O aconselhamento financeiro, entendido como uma resposta concreta ao problema apresentado pelo cliente, é quase inexistente. A maioria dos funcionários foi mero expositor dos produtos financeiros. Apenas o funcionário do balcão do Banco Espírito Santo localizado em Alcoutim sugeriu ao potencial cliente a feitura de um questionário de modo a averiguar o tipo de investidor, tal como exige a legislação comunitária, e assim escolher os produtos mais adequados ao seu perfil de aforrador. Veja os principais resultados do teste no portal PROTESTE INVESTE.