Dicas

Divida o dinheiro por cestos de poupança

03 agosto 2015

03 agosto 2015

Separe os objetivos financeiros. Não confunda uma poupança para as férias com o pé-de-meia para a reforma. As exigências de capital são diferentes e as soluções financeiras também.

Constituir cestos de poupança é uma forma de prevenir despesas futuras e assegurar o cumprimento de objetivos de vida e de consumo sem ter de fazer esforços financeiros hercúleos quando chegar o momento da concretização. É uma metodologia essencial para estruturar a sua vida financeira. Para tal, defina cestos de poupança específicos para cada objetivo. Sugerimos três exemplos de cestos comuns a todas as famílias.

Cesto 1: Emergências
É o mais importante de todos os cestos. Sem um fundo de emergência, a gestão das finanças pessoais pode desabar a qualquer momento. Destina-se a cobrir despesas inesperadas (doença, desemprego, acidentes) e deve equivaler ao mínimo de seis vezes o seu rendimento mensal.

Cesto 2: Reforma
Pode ser assegurado inscrevendo no orçamento mensal a “poupança para a reforma” como despesa. Grão a grão poderá obter um considerável pé-de-meia para aumentar a qualidade de vida após o fim da vida ativa.

Cesto 3: Sonhos
Estamos a falar, por exemplo, da compra de um automóvel, de um tablet ou de uma viagem de férias. Trata-se de bens de consumo que podem ser mais ou menos pesados no total das despesas e das poupanças, mas que não devem ser negligenciados.

Para saber como gerir as finanças pessoais, consulte a análise completa no portal PROTESTE INVESTE.