Dicas

Depósitos a prazo ou Certificados: quais rendem mais?

Se quer fazer crescer as poupanças, veja quais os bancos que oferecem as melhores taxas, e quanto estão a render os Certificados de Aforro e do Tesouro. Conheça os pontos fortes e fracos dos depósitos e títulos da dívida.

01 abril 2022
Cofre

iStock

Com o objetivo de ajudar a rentabilizar o seu aforro, selecionámos os melhores depósitos a prazo para vários prazos. Como as taxas estão à míngua, decidimos compará-los também com os títulos da dívida pública, por terem elevada liquidez e poderem render um pouco mais.

Depósitos a prazo rendem muito pouco

Os depósitos a prazo são os preferidos dos portugueses. Têm a vantagem de, em caso de falência do banco, estarem cobertos pelo Fundo de Garantia de Depósitos até 100 mil euros. Mas serão uma boa solução para canalizar as poupanças? A maior parte dos bancos oferece taxas próximas de zero, e cobra custos de manutenção da conta que anulam muitas vezes a rentabilidade obtida. Além disso, a maioria das instituições exige acima de 1000 euros para abrir conta e, em alguns casos, não é possível fazer a mobilização antecipada do depósito sem perder os juros.

Neste momento, um depósito a 12 meses rende, em média, apenas 0,06% líquidos. Apesar de haver inúmeras contas no mercado e vários produtos de capital garantido, nenhum supera a inflação estimada pelo Banco de Portugal para este ano (4%). Porque é esta tão importante? Se tiver um depósito a prazo que renda apenas 0,06% e a inflação for de 4%, terá um rendimento real negativo. Ou seja, os preços na economia subirão muito mais do que a valorização gerada pelas suas poupanças.

Os melhores depósitos

Nos depósitos, são as instituições mais pequenas e que operam online as mais generosas. Os chamados “superdepósitos” têm um objetivo: atrair novos clientes ou novos montantes. Contudo, findo o prazo (por norma, três meses), já não pode renovar à mesma taxa. Aliás, são bastante inferiores.

Neste prazo, o Best tem a melhor proposta para novos clientes. Oferece 1,1% líquidos para montantes entre 2500 e 25 mil euros. Os juros são pagos logo no início, mas não é permitido mobilizar o depósito antes de terminar os três meses. Segue-se o Banco BAI Europa, com a conta Depósitos a Prazo Novos Clientes (1,1% brutos, 0,8% líquidos), para montantes entre 2500 e 100 mil euros. Os juros são pagos no vencimento. Todavia, também não permite a mobilização antecipada. Apesar de se tratar de um banco angolano, está ao abrigo do Fundo de Garantia de Depósitos.

Ainda a três meses, o Banco BiG, o Banco Atlantico Europa e o Banco Carregosa propõem 0,7% aos novos clientes. Taxa semelhante é oferecida pelo Banco Invest, com o Invest Choice Novos Montantes, sendo que este depósito também está disponível a seis meses. Como o nome indica, a conta é exclusiva para novos montantes de clientes atuais particulares, ou de novos clientes. Pode aplicar até 75 mil euros. Para o prazo de 12 meses, é no Banco BAI Europa que encontra a melhor oferta: 0,5% líquidos.  

Se procura prazos mais longos, encontra a melhor oferta no Banco BAI (depósito a cinco anos).

Para estar sempre a par das taxas praticadas pelos bancos aceda ao comparador de depósitos e produtos de poupança da Proteste Investe.

Certificados do Tesouro rendem mais a médio e longo prazo

Se a garantia do capital é fundamental para a sua paz de espírito, os Certificados do Tesouro Poupança Valor são preferíveis aos depósitos para aplicar a médio e longo prazo (até sete anos). Subscrevem-se nos CTT, Espaços Cidadão ou no site da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (tal como os Certificados de Aforro).

Os juros são pagos mediante uma taxa crescente, na conta à ordem, entre 0,504% líquidos, no primeiro ano, e 1,15%, no sétimo ano. A partir do terceiro ano, pode somar-se um prémio em função do crescimento do produto interno bruto (PIB). Se se confirmarem as projeções do Banco de Portugal, pode obter um rendimento líquido de 0,9% ao ano.

Vai precisar, no entanto, de um mínimo de 1000 euros para a subscrição ou para fazer novas entregas, e o capital não está disponível durante o primeiro ano. Como os juros são pagos anualmente na conta bancária definida no momento da subscrição, também não há capitalização do rendimento. Aceda ao simulador de Certificados do Tesouro da Proteste Investe para saber quanto pode ganhar.

Certificados de Aforro para montantes pequenos

Permitem entregas de pequeno montante (100 euros), além de pagarem um prémio de permanência de 0,5% a partir do segundo ano e de 1% bruto depois do sexto ano. A taxa anual efetiva líquida, a partir do segundo ano, é superior à da maioria dos depósitos a prazo. A taxa de base não é, porém, muito apelativa (0,4% líquidos, em abril 2022), pois estes produtos dependem da Euribor. Mas tende a subir no futuro.

Os Certificados de Aforro não pagam, contudo, juros. O rendimento gerado a cada trimestre é integrado e capitalizado. Também não são transmissíveis a outra pessoa, familiar ou amigo, exceto em caso de morte do titular. Aceda ao simulador de Certificados da Proteste Investe para saber quanto pode ganhar.

Pense bem se pretende continuar a receber migalhas pelo seu depósito a prazo, em vez de subscrever produtos que proporcionam mais rendimento.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.