Notícias

Cortes nas pensões: menos 3,5% para quem recebe acima de 1000 euros mensais

27 março 2014 Arquivado

27 março 2014 Arquivado

A contribuição extraordinária de solidariedade, aplicada no ano passado a pensões superiores a 1350 euros, volta a ser “extraordinária” e afetará mais 166 mil pensionistas já a partir de abril.

Se, em 2013, só era abrangido por este corte quem recebia acima de 1350 euros mensais, este ano, todos os pensionistas com rendimentos superiores a 1000 euros serão obrigados a “contribuir”. Em abril, sofrem um corte mínimo de 3,5 por cento.

A contribuição é progressiva, ou seja, é tanto maior quanto mais elevada for a pensão.

Às pensões brutas até 1800 euros aplica-se uma taxa de 3,5 por cento. Assim, um pensionista que receba 1300 euros brutos perderá 45,50 euros por mês.

O cálculo de quem recebe uma pensão entre 1800 e 3750 euros é mais complexo. No caso de um pensionista com 2800 euros brutos de pensão, o corte será de 223 euros: os primeiros 1800 euros da pensão são alvo de uma taxa de 3,5% (menos 63 euros) e sobre os restantes 1000 euros recaem 16% (menos 160 euros). No total, representa um corte de 8 por cento.

As pensões entre 3750 euros e 4611,42 sofrem uma redução de 10 por cento.

Nas pensões entre 4611,43 e 7126,74 euros, o cálculo é feito em duas partes: aplica-se uma taxa de 10% ao montante de 4611,42 euros e uma taxa de 15% à diferença entre os 4611,43 euros e o valor total da pensão. Por exemplo, um pensionista que receba 5000 euros sofre um corte de 10% até aos 4611,42 (menos 461,14) e de 15% sobre a diferença entre 5000 e 4611,43 euros (menos 58,29 euros). Portanto, receberá menos 519,43 euros.

Às pensões superiores a 7126,74 euros, além dos cortes aplicados no exemplo anterior, acresce uma taxa de 40% que incidirá sobre os montantes que ultrapassem 7126,74 euros.