Notícias

Seguro de proteção ao crédito: não vale a pena contratar

29 janeiro 2015

A proteção no desemprego e a amortização de dívidas são promessas dos seguros de proteção ao crédito, muitas vezes, por cumprir.

Condições, exclusões e exceções

Em caso de sinistro e consequente ativação do seguro, todas as apólices definem um valor máximo de indemnização mensal, que, por norma, é de 1700 euros, ainda que a prestação devida seja superior. Além disto, impõem um período de requalificação de seis meses. Isto quer dizer que depois do regresso do trabalhador à vida ativa, a cobertura só pode voltar a ser ativada passados seis meses. 

Os períodos de carência são outra limitação. No caso do Banco Popular (Popular Seguros), BES (BES Seguros), BPN Crédito (Real) e BMW Bank (Genworth Financial), a carência é de 60 dias, ou seja, o seguro só pode ser ativado dois meses depois de contratado. Este prazo sobe para três meses no caso do BMW Bank (se o contrato for feito pelo telefone), e para quatro se for cliente do RCI Banque. 

Da nossa análise, concluímos que todas as apólices excluem as doenças neurológicas, o que deixa desprotegidos consumidores mais debilitados. Alguns seguros também excluem as lombalgias, bem como o consumo de álcool ou estupefacientes sem que haja uma relação direta entre estes factos e o sinistro. É o caso do RCI Banque, da Unicre (Metlife), do Millennium bcp (Ocidental) e do BMW Bank. Se, mesmo assim, decidir contratar um seguro deste tipo, recomendamos que leia atentamente as condições do contrato. 
Quanto custa o seguro de proteção ao crédito?
Instituição financeira (Seguradora) Produto Coberturas Prestação máxima paga pelo seguro (€) Cenário 1 (crédito de 5.000 euros a 3 anos) Cenário 2 (crédito de 10.000 euros a 5 anos)
ActivoBank (Ocidental) Plano de Proteção Crédito Pessoal
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Desemprego involuntário
  • Hospitalização
  • Salários em atraso
1700 189,72 616,20
Banco BPI (Allianz) Crédito Pessoal BPI
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Desemprego involuntário
  • Hospitalização
  • Salários em atraso
1700 125,35 407,40
Banco Popular (Popular Seguros) Popular Proteção Pagamentos C
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Desemprego involuntário
  • Hospitalização
  • Salários em atraso
2000 171,24 366,55
BES (BES Seguros) Proteção ao Crédito
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Desemprego involuntário
  • Hospitalização
  • Salários em atraso
1700 151,39 559,99
BMW Bank (Genworth Financial) Plano Proteção Completa
(associado a financiamento automóvel)
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Desemprego involuntário
  • Hospitalização
  • Invalidez absoluta e definitiva
  • Morte
2000 309,73 762,65
BPN Crédito (Real) Proteção Upgrade
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Desemprego involuntário
  • Hospitalização
  • Invalidez absoluta e definitiva
  • Morte
1700 310,32 1055,40
Cofidis (ACM Vie) Vida Mais
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Desemprego involuntário
  • Invalidez absoluta e definitiva
  • Morte
n.d. 463,32 1219,20
Millennium Bcp (Ocidental) Plano de Proteção Pagamentos
(associado a financiamento automóvel)
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Desemprego involuntário
  • Hospitalização
1700 189,72 616,20
Oney (Oney Insurance) Proteção Crédito Projeto
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Desemprego involuntário
  • Hospitalização
  • Morte
n.d. 608,61
2122,18
RCI Banque (Metlife) Proteção +
(associado a financiamento automóvel)
  • Desemprego involuntário
  • Hospitalização
  • Invalidez absoluta e definitiva
  • Morte
n.d. 297 822
Santander Totta (Santander Totta Seguros) Plano de Proteção Santander Totta
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Desemprego involuntário
  • Hospitalização
  • Invalidez absoluta e definitiva
  • Morte
1700 161,45
574,45
Unicre (Metlife) Proteção Financeira
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Desemprego involuntário
  • Hospitalização
  • Morte
600 554,4 1848