Notícias

Ocidental Seguros obrigada a pagar seguro de desemprego

09 janeiro 2017
Alexandre Grilo ficou desempregado e tentou acionar a cobertura de desemprego incluída num crédito pessoal que contratou com a Ocidental, ao qual tinha direito.

09 janeiro 2017
Alexandre Grilo ficou sem trabalho, quis acionar o seguro de desemprego que contratou com a Ocidental Seguros, mas esta recusou-se a pagar. Saiba como o nosso associado conseguiu fazer valer os seus direitos.
Alexandre Grilo ficou desempregado e precisou de acionar a cobertura de desemprego incluída na apólice de um crédito pessoal que contratou com a Ocidental Seguros. Apesar de cumprir todas a condições necessárias, a seguradora recusou-se a fazer o pagamento.

A Ocidental justificou que o nosso associado tinha sido despedido com justa causa, uma situação que não está contemplada na apólice. Mas esta justificação não corresponde à realidade, pois foi Alexandre Grilo quem se despediu e alegou justa causa para o fazer, um cenário que, segundo o contrato de seguro firmado, é de desemprego involuntário.

As condições da apólice que Alexandre contratou referem que “se a pessoa segura ficar em situação de desemprego involuntário por um período superior a 30 dias, demonstrar que procura outro emprego e que se encontra inscrita no respetivo centro de emprego, o segurador assumirá o pagamento da prestação do crédito pessoal associado (…)”.

O caso de Alexandre enquadrava-se nos parâmetros fixados, mas a Ocidental Seguros manteve a recusa do pagamento. A seguradora alegou que só estaria em condições de resolver a situação depois de concluída a ação judicial em curso que opunha o nosso leitor e o ex-empregador.

Insatisfeito com a companhia de seguros, Alexandre Grilo pediu-nos ajuda. Após vários contactos, a Ocidental reapreciou o processo e pagou a prestação do período de 14 de janeiro a 12 de maio de 2016 (4 meses, sensivelmente). Só depois de apresentar à seguradora a declaração comprovativa da inscrição no centro de emprego, Alexandre recebeu os restantes valores da prestação de crédito pessoal. Obteve assim o pagamento total dos seis meses previstos no contrato e a que tinha direito. Se enfrentar um conflito semelhante, tente interpelar a empresa através da nossa plataforma Reclamar.