Dicas

Como pesquisar trabalho na Internet

15 fevereiro 2013

Portugal conta mais de 920 mil desempregados, segundo o Instituto Nacional de Estatística. Este novo recorde nacional fura as previsões do Governo. Comece já a pesquisar trabalho com as melhores dicas.

Escrever o currículo

É essencial apresentar o currículo atualizado, bem construído e adaptado à oferta. Um currículo bem escrito e estruturado é um passo básico.

1. A regra de ouro é adaptá-lo à oferta. O mesmo CV não vale para duas empresas. Informe-se sobre o que a empresa procura e em que consiste a função. Indique o que faz sentido: elimine formações ou experiências sem valor para o cargo e destaque aquelas com uma relação direta. Se a oferta exige experiência em cargos de gestão, destaque essa informação. Outro exemplo: o facto de organizar todos os anos um festival de marisco não interessa quando se candidata para a função de designer. Atualize o currículo para ficar pronto a disparar quando descobrir uma oferta.

2. Seja breve: não é a história da sua vida. Trata-se apenas de um resumo preciso sobre quem é e o que sabe fazer. Simples e incisivo, resuma o CV a uma ou duas folhas.

3. Pense na estrutura como uma notícia. Primeiro o mais importante, como os seus pontos fortes, depois o resto. Reserve as últimas linhas para os dados menos relevantes. O habitual é começar pela experiência na ordem cronológica inversa (da mais recente à mais antiga) e seguir com a formação.

4. Atenção ao detalhe. O CV combina um exercício de escrita com trabalhos manuais. Vista a pele de quem vai ler o currículo. Este par de folhas resume o que vão saber sobre si. Rigor máximo e clareza com exatidão nas datas de emprego: a maioria das empresas quer ver os meses e não apenas os anos.

5. Não minta. Uma mentira pode garantir a entrevista, mas depois motivar o fracasso. Um simples dado pode revelar se exagerou ou não nas competências. Provoca má impressão e a empresa não volta a pensar no seu nome para futuros processos.

6. Escrita cuidadosa. O currículo será lido rapidamente. Deve escrevê-lo de modo claro. Utilize frases curtas e simples, mas não adote um tom sem ritmo ou maçador. Evite palavras rebuscadas e não asfixie com parágrafos intermináveis. Use o espaço entre linhas e o negrito. Faça a revisão da ortografia: um erro elimina o candidato da corrida.

7. Fotografia e aparência. A foto pode dizer muito e assustar se for inapropriada (corpo inteiro ou durante uma festa). Escolha uma natural e formal.

8. Use verbos dinâmicos e ricos em ação. As frases mais usadas são “responsável por” ou “participou em”. Estes termos servem uma ou duas vezes, mas é melhor usar “organizei”, “presidi”, “desenvolvi” ou “ensinei”.

9. Evite destacar a vertente salarial, as referências de antigos chefes ou as razões porque deixou o último trabalho. Reserve-as para a entrevista. Não desperdice tempo com elementos óbvios. Esqueça o gosto e rasgos de personalidade fora do contexto.

10. Foque o importante. As empresas querem conhecer aquilo que sabe fazer. O número de cargos interessa, mas o mais pertinente é o que fez e como desenvolvia a função. Destaque os projetos de sucesso e não as rotinas. Combine a atividade diária com as grandes vitórias. Não esqueça o nome e contacto. Destaque os seus blogs ou perfil nas redes com orientação profissional.

11. Complete o currículo com uma carta. Aproveite a carta de apresentação para mostrar que sabe escrever e expressar-se. Exiba um tom próximo, certeiro e profissional. Exponha o interesse pela empresa e explique porque é o candidato ideal.

12. Inove. O objetivo é conquistar a atenção de quem lê centenas de currículos todas as semanas. Os videocurrículos são o último grito: ligue a câmara e apresente-se da melhor forma. Pode descarregá-lo no YouTube e incluir o link para o CV clássico. Consoante a área, o currículo convencional pode ser mais acertado.