Notícias

Consumidores avaliam bancos: online agradam mais

24 fevereiro 2017
satisfação com bancos

24 fevereiro 2017
As comissões são o que mais penaliza os bancos tradicionais em relação aos que operam pela internet. Esta é a opinião de 8016 associados que responderam a um inquérito de satisfação.

Início

Em Portugal, são os bancos que operam preferencialmente através do internet que reúnem o maior número de clientes satisfeitos com os serviços que prestam. Duas razões principais: menos custos e maior transparência quanto à facilidade em perceber os produtos financeiros e os encargos implicados.

À cabeça, destaque para o ActivoBank, seguido pelo Best Bank e pelo Banco BiG. A Caixa Económica da Misericórdia de Angra do Heroísmo revelou igualmente um grau de satisfação semelhante ao do Banco BiG.

O ActivoBank arrecadou vários primeiros lugares no ranking da preferência dos clientes. É o mais apreciado no que diz respeito à transparência - ao qual se junta o Banco CTT, que tem vindo a ganhar uma popularidade crescente desde o momento da sua criação -; foi considerado aquele que presta melhor atendimento ao cliente e distingue-se também pela elevada satisfação que proporciona com a sua política de baixos custos. É também o banco que mais agrada quando se fala de contas à ordem e de cartões de crédito e destaca-se na facilidade em trabalhar com o banco.

A conclusão é de um inquérito que realizámos, entre março e abril de 2016, sobre bancos e produtos bancários aos nossos associados. Recebemos 8016 questionários válidos. A mesma investigação foi conduzida pelas associações de consumidores nossas congéneres de Espanha, Bélgica e Itália. Com as respostas, elaborámos um índice de satisfação medido numa escala de 1 a 10.

Bancos tradicionais, problemas antigos

Nos 12 meses que antecederam o inquérito, 31% dos consumidores detetaram uma irregularidade na relação com o seu banco. O BBVA e o Santander Totta (antigos clientes Banif) foram as instituições onde os consumidores detetaram maiores problemas nesse período.

A uma grande distância dos restantes, os problemas mais referidos foram os encargos incorretamente cobrados. O Deutsche Bank e o BBVA destacaram-se, pela negativa, nesta categoria, com 28% dos inquiridos, respetivamente, a confessarem um contratempo deste tipo.

Outras queixas: dificuldade em contactar alguém para colocar uma questão (15%, 16% e 19% das respostas nos casos do Deutsche Bank, Bankinter e BBVA, respetivamente), o banco tentar vender produtos que o consumidor não compreendeu (12%, BBVA), ou a tentativa de vender produtos que o cliente não desejava ou não procurava (11% no Banco Cetelem e a mesma percentagem no BBVA).

A satisfação em relação ao Santander Totta por parte dos clientes que transitaram do Banif para aquela instituição é a mais baixa do inquérito, logo seguida do BBVA, que atualmente tem uma oferta de produtos mais restritiva em relação aos consumidores individuais, o que poderá ajudar a explicar a pouca satisfação.



 

 

Imprimir Enviar por e-mail