Dicas

Contas à ordem: pacotes podem compensar

01 outubro 2015

01 outubro 2015

Permitem aceder a um conjunto de produtos e serviços em troca de uma comissão mensal. Algumas competem com as contas correntes ou ordenado.

Nas contas em forma de pacote, o consumidor não tem de preocupar-se com o custo de cada transferência, cheque ou anuidade de cartões. Por um valor que chega quase aos € 100 por ano (média de € 65), realiza as operações permitidas pelo pacote sem fazer contas aos gastos. Em alguns casos, beneficia ainda de descontos nos seguros, nas comissões e na taxa de juro de créditos. Quase todas estas contas concedem reduções no custo de base se o cliente domiciliar o ordenado e/ou utilizar cartões de débito e crédito.

As contas de pacote podem ser vantajosas para alguns perfis de utilização, sobretudo quando o cliente não pode domiciliar o vencimento.

Mais barato se usar a Net

Se está amarrado ao banco, por exemplo, devido às condições do crédito à habitação e não pode mudar para uma conta com menos custos, basta optar pela Internet ao fazer as suas operações bancárias para conseguir poupar na utilização de vários produtos e serviços.

Muitas vezes, através deste canal, pode fazer transferências a custo zero e o preço de cheques é mais reduzido ou, na pior das hipóteses, igual ao praticado ao balcão. Se não confia na Internet para realizar transferências, o multibanco é uma boa opção e é gratuito.

Poupe com o ordenado

As contas à ordem, simples (correntes) ou com crédito automático (ordenado), são indispensáveis para receber o salário, pagar serviços ou a prestação da casa, e servir de suporte a uma aplicação financeira. Domiciliar o salário ou a pensão é outra mudança que pode render dezenas de euros por ano. Se, por exemplo, domiciliar um salário de € 750 e não recorrer ao crédito automático, pode poupar anualmente cerca de € 43 se fizer as suas operações ao balcão e € 46 pela Net, face a quem não transfere o ordenado todos os meses para o banco.

Quase todas as contas-ordenado não têm encargos de manutenção, isentam os titulares de uma ou mais anuidades do cartão de débito ou crédito ou oferecem alguns cheques. Por vezes, não cobram as transferências com NIB entre bancos, se realizadas pela Net ou por telefone. Permitem ainda aceder a uma linha de crédito, regra geral, limitada ao vencimento. Embora a taxa anual efetiva seja mais baixa do que noutras soluções de crédito, convém evitar o uso sistemático do descoberto: paga juros e, logo que o salário seja depositado, é subtraída a dívida.

Para mudar de uma conta corrente para uma conta-ordenado, basta preencher um impresso e apresentar os últimos recibos de vencimento e/ou uma declaração da entidade patronal com o salário. Os bancos não cobram pela alteração.