Para que serve este seguro e quais os riscos cobertos

Se vai contratar um seguro de vida para o crédito à habitação, opte por um seguro temporário anual e renovável. É válido por um ano e renova-se automaticamente por iguais períodos até que uma das partes, seguradora ou consumidor, o termine. Os prémios são calculados consoante o capital e a idade das pessoas seguras. Como a probabilidade de falecer aumenta com a idade, os prémios são crescentes: quanto mais velho ficar, mais paga. No entanto, o capital em dívida é menor. A subida do prémio vai depender da tarifa da seguradora.

A apólice pode ser contratada em qualquer seguradora, mas muitos bancos apresentam uma proposta e, como contrapartida, reduzem o spread (margem de lucro do banco) associado ao crédito. Neste caso, em princípio, compensa optar pela proposta da instituição. Mas não há nada como fazer as contas: peça uma simulação da prestação com o seguro proposto pelo banco e outra sem incluir o valor do seguro. De seguida, pegue nesta última e adicione-lhe o prémio das nossas Escolhas Acertadas. Para saber qual a opção mais vantajosa, basta-lhe comparar o que paga anual ou mensalmente pelo crédito (prestação + seguro). Atenção: não não basta comparar os preços para o primeiro ano do seguro. Há que olhar para a projeção dos prémios a pagar durante a vigência do crédito à habitação.

Se já tem um empréstimo e quer verificar se compensa transferir o seguro de vida para outra companhia, pergunte ao banco qual o efeito da mudança. Caso passe por um aumento do spread, peça o novo valor e uma simulação da nova prestação e proceda como explicamos acima. Atenção: o banco só pode agravar o spread se tal estiver previsto no contrato.

Quando o crédito é contraído por dois titulares, contrate um seguro de vida em nome dos dois pela totalidade do capital em dívida. Assim, a companhia paga a indemnização se um dos dois morrer ou ficar inválido, ficando o outro com a casa paga. É possível ainda fazer dois seguros individuais por 50% da dívida. Se morrer um titular, ou ficar inválido, metade é paga ao banco, e o outro segurado mantém a apólice com o restante capital, continuando a pagar a prestação correspondente aos restantes 50 por cento. É preciso, no entanto, que a instituição bancária aceite fazer estes dois seguros individuais. Esta opção não é a ideal se houver grande diferença de rendimentos entre os titulares. 

Além da cobertura de morte, o banco exige a invalidez total e permanente ou a invalidez absoluta e definitiva. A primeira é mais abrangente: paga uma indemnização em caso de incapacidade igual ou superior a 65%, que impeça o segurado de trabalhar. A segunda, exigida pela maioria dos bancos, só é ativada se ficar totalmente incapacitado para qualquer atividade e precisar de assistência no dia-a-dia. O capital seguro deve corresponder ao capital em dívida no banco. As seguradoras são obrigadas a atualizar o capital do seguro com a mesma periodicidade da amortização do crédito (regra geral, mensalmente).

 

Perguntas frequentes 

Qual a finalidade do seguro?

Os seguros de vida associados ao crédito são, regra geral, anuais e renováveis, ou seja, são válidos por um ano e renovados automaticamente por iguais períodos. São produtos específicos, com uma tarifa própria, geralmente mais baixa, e com duração mais alargada, para acompanhar a duração dos empréstimos. Anual ou mensalmente, o banco comunica à seguradora o valor em dívida para atualização do capital seguro e, consequentemente, do prémio a pagar.

Os seguros de vida para proteção da família poderão ser anuais e renováveis ou contratados por um determinado período (10 anos ou 20 anos, por exemplo), durante o qual o capital seguro e o prémio anual se mantêm. O simulador contempla apenas os primeiros.

O que é a cobertura individual e a cobertura a duas cabeças?

A cobertura individual é válida para um titular. Nos casos em que o crédito é contratado por dois titulares, a maioria das seguradoras prevê a contratação conjunta do seguro de vida, designada por "duas cabeças". Existe apenas um capital para ambos os titulares. Os prémios são superiores aos do seguro para um titular, mas inferiores à soma de duas coberturas individuais.

Que idade devo considerar na simulação?

Considere a idade atual de cada elemento à data da contratação do seguro, isto é, a idade na data de aniversário mais próxima. Um exemplo: se fez anos há menos de seis meses, considere a idade atual. Se fez há mais tempo, some mais um ano à idade que tem agora.

O que é o capital seguro?

O capital seguro é o valor pago pela seguradora quando uma das coberturas é ativada. É com base neste que se calcula o prémio anual. Nos casos em que o seguro é contratado como garantia do crédito à habitação, o capital deverá corresponder, em cada momento, ao montante da dívida ao banco.

Quais as indemnizações previstas?

Depende da cobertura que contratar. Além da cobertura de morte, a maioria dos bancos exige a cobertura menos abrangente, de invalidez absoluta e definitiva. Esta é ativada se o titular do crédito ficar incapacitado e precisar da ajuda de terceiros para as tarefas diárias. Contudo, recomendamos a cobertura de invalidez total e permanente, com um prémio superior, mas mais abrangente. Esta pode ser ativada se o segurado ficar com uma incapacidade igual ou superior a 65%, que o impeça de exercer a sua atividade.

Quem recebe a indemnização?

Quando o seguro é contratado como garantia do crédito, o beneficiário é o credor hipotecário, ou seja, o banco. Se contratou o seguro para proteção da família, a indemnização é atribuída aos beneficiários indicados na apólice, em caso de morte dos titulares do seguro.