última atualização: 16/10/2020

Tudo sobre a app STAYAWAY COVID

A proposta do Governo para tornar obrigatória a instalação da aplicação STAYAWAY COVID está a gerar polémica e a deixar muitos portugueses com dúvidas. Testámos a aplicação em laboratório antes e depois do seu lançamento, confirmando que não há recolha de dados de saúde pelas autoridades portuguesas. Ainda assim, temos reservas em relação à app.

O problema está no código do sistema GAEN (Google/ Apple Exposure Notification) em que a app se baseia. O facto de não ser público impede o seu escrutínio, o que significa que existe a possibilidade de uso não-declarado e indevido dos dados pessoais por parte do Google e da Apple.

Como funciona a app STAYAWAY COVID?

A app STAYAWAY COVID atribui um código aleatório a cada telemóvel, alterando-o várias vezes por hora. Os contactos a menos de 2 metros de distância, durante mais de 15 minutos, são registados e os telemóveis trocam os respetivos códigos através de Bluetooth. Neste processo, nem a identidade, nem o local em que ocorreu o contacto, ficam guardados.   

Quando existe um diagnóstico positivo, as autoridades de saúde enviam um código de 12 dígitos, que poderá ser inserido na aplicação. Este código fica no sistema, e envia um alerta aos utilizadores que estiveram em contacto nos últimos 14 dias.  

A DECO PROTESTE recomenda a instalação da app STAYAWAY COVID?

Apesar de fazer opções técnicas corretas, não podemos recomendar a instalação da app StayAway Covid sem reservas. O código do GAEN (Google/ Apple Exposure Notification) não é público, o que impede o seu escrutínio. Assim, não podemos excluir a possibilidade de uso indevido dos dados pessoas por parte de terceiros, sobretudo do Google e da Apple.  

Leia os resultados do nosso teste à app STAYAWAY COVID na íntegra.

Equipa DECO PROTESTE

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Ajude-nos a melhorar da comunidade Teste Connosco

Comentários

Seja o primeiro a comentar