última atualização: 19/06/2020

Encomendou no site 365 Inbox?

Artigos que nunca chegaram ao destino ou cujo prazo de entrega foi largamente ultrapassado motivaram perto de três dezenas de queixas no portal Reclamar só no mês de maio.

A maior parte dos consumidores que registaram uma queixa contra a 365 Inbox no portal Reclamar pagaram várias dezenas de euros por máscaras e outros dispositivos de proteção individual, tão procurados em tempo de pandemia. Em todos os casos, a transação foi efetuada com sucesso via internet e o pagamento concretizado, mas os artigos encomendados tardaram em chegar ou não foram sequer entregues aos destinatários.

A demora na entrega de muitas encomendas feitas através da internet tem sido, de resto, uma realidade muito presente desde que o estado de emergência foi decretado em vários países europeus. Fronteiras com acesso condicionado e recursos humanos limitados em distribuidoras e transportadoras causaram fortes perturbações nos circuitos comerciais, pelo que apelámos, desde a primeira hora, à compreensão dos consumidores para possíveis incumprimentos de prazos de entrega. No entanto, tendo em conta as queixas que nos chegaram, não falamos de atrasos de alguns dias, mas de várias semanas. Em todo o caso, espera-se que as empresas estejam contactáveis e disponíveis para esclarecer os clientes sobre o processo de entrega. Atendendo às queixas que nos chegaram, essa não terá sido a postura da 365 Inbox.

Nos “termos e condições”, a 365 Inbox adverte que só após a receção das encomendas fornece informação ao cliente acerca da disponibilidade dos artigos, prevendo prazos de 10 a 20 dias úteis para entregas em Portugal.
Já quanto a possíveis devoluções ou reembolsos, a 365 Inbox desresponsabiliza-se da generalidade das situações, disponibilizando-se apenas para reembolsos de produtos que os consumidores façam chegar às instalações da empresa no prazo de 15 dias úteis.

Queixas como estas vêm reforçar os nossos alertas para a leitura atenta dos termos e condições exibidos nos sites de comércio eletrónico. Seja exigente na análise da credibilidade dos produtos e serviços anunciados, consulte as condições de pagamento e de entrega e procure referências ou, ao inverso, pesquise eventuais queixas sobre a empresa.

Se, ainda assim, avançar com a transação e houver motivos para queixa, registe-a no portal Reclamar. Pode também recorrer à Plataforma de Resolução de Litígios em Linha, da Comissão Europeia.

Fez alguma encomenda no site 365 Inbox? Partilhe a sua experiência nos comentários. 

Equipa DECO PROTESTE

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Ajude-nos a melhorar da comunidade Teste Connosco

Comentários

Seja o primeiro a comentar