última atualização: 13/02/2020

Cigarros electrónicos

O melhor "teste" que podem fazer acerca deste tema, é uma estatística ou sondagem aos consumidores. sou utilizador de cigarro electrónico (e Iqos - tabaco aquecido) há mais de 2 anos e foi a melhor decisão que tomei (claro, a melhor era mesmo deixar de fumar!), pois notei uma melhoria gigante, a nível físico! Deixei de ter catarro, dores de cabeça (que nem sabia que eram derivadas do tabaco convencional) e melhorei bastante a capacidade pulmonar e cardíaca (pratico exercício físico). Além disso, é claro que há líquidos e líquidos! Eu só adquiro líquidos em lojas da especialidade e não em qualquer "shoping china" que sei que também vende! Não acredito em testes tendenciosos! O melhor teste, somos nós próprios! 

Junte-se a nós

Esta informação foi útil e ajudou-o? Para apoiar a nossa comunidade, registe-se no site. É gratuito, demora menos de um minuto.

  • Pode perguntar e pedir conselhos
  • ler as contribuições dos nossos membros
  • dar o seu contributo 
  • receber o feedback de um especialista.

Registe-se em DECO PROTESTE para participar.
Entrar ou Registar

  Comentários

User name Moderator
Silvia Silva | Moderador
10/02/2020

Olá Rui, 

Agradecemos a sua participação na nossa nova comunidade. 

Os cigarros eletrónicos são menos nefastos que o tabaco tradicional, no entanto não são inócuos. Para além dos efeitos secundários do consumo da nicotina, os químicos do aerossol são potencialmente prejudiciais para a saúde dos utilizadores.

A Organização Mundial da Saúde considera que os cigarros eletrónicos são prejudiciais à saúde e não são seguros. Também a Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD) desaconselham a sua utilização, tal como explicamos em https://www.deco.proteste.pt/saude/medicamentos/noticias/cigarros-eletronicos-alternativa-ao-tabaco-tradicional

Existem vários estudos científicos que têm demonstrado os efeitos negativos da utilização destes produtos, pelo que não devem ser considerados uma “alternativa segura” ao tabaco tradicional. Tal como refere, a única alternativa é deixar de fumar.

Independentemente da opinião dos consumidores ser importante, são apenas perceções, que não podem ser traduzidas em dados objetivos. Uma das dificuldade dos estudos a estes produtos, relaciona-se com os efeitos a longo prazo da utilização de e-cigarros, uma vez que a sua utilização é relativamente recente.

No caso de dados de saúde, são necessários estudos clínicos, bem estruturados e sem viés, que permitam tirar conclusões robustas e suportadas pela evidência científica. 

Esperamos ter ajudado a esclarecer a questão. 

Obrigado, 

Equipa DECO PROTESTE

User name
RUI MIGUEL
12/02/2020

Recente? Existem cigarros eletrónicos em Portugal, pelo menos desde 2010, quando apareceu em 2009 a Smuky! Eu nunca disse que a "alternativa" é deixar de fumar! Eu disse que "a melhor opção é deixar de fumar!", mas como eu, há milhares de fumadores que não querem ou não conseguem deixar de fumar, e aí sim o cigarro eletrónico é a melhor alternativa que apareceu até hoje! O principal problema, quanto a mim, e por isso não acredito em certos "estudos", é que o estado não tem lucro com os cigarros electrónicos, ao contrário do cigarro convencional, que é das maiores fontes de receita! O estado não tem interesse que o povo deixe de fumar...acreditem se quiserem! Eu acredito!

User name Moderator
Silvia Silva | Moderador
13/02/2020

Olá Rui, 

Agradecemos a sua participação na comunidade.

Do ponto de vista da avaliação do risco de exposição a longo prazo dos cigarros electrónicos, o tempo de utilização e disponibilidade no mercado ainda é insuficiente.

Um bom estudo científico, se financiado, não deve apresentar conflitos de interesses. Pelo que apenas esses devem ser considerados na avaliação de determinado produto ou risco.

Obrigada por acompanhar, 

Equipa DECO PROTESTE