última atualização: 08/05/2020

Estado de calamidade: o que muda nos transportes públicos

A partir da meia-noite do dia 3 de maio, Portugal entrou em situação de calamidade. Esta decisão veio aliviar algumas restrições impostas pelo estado de emergência e criar limites e condicionamentos à circulação, bem como novas regras para usar os transportes públicos.

Volta a ser obrigatório validar o bilhete ou o passe, a lotação fica limitada a dois terços da capacidade e vão existir coimas para quem não usar máscara.

Uso de máscara é obrigatório nos transportes públicos

Os táxis e os veículos descaracterizados a partir de plataforma eletrónica (TVDE) não podem ter mais de 2/3 dos bancos do veículo ocupados, sendo que os lugares dianteiros só podem ser utilizados pelo motorista. Deve também ser assegurada a renovação do ar interior do veículo e a limpeza das superfícies.

Estas restrições têm por base as recomendações da Direção Geral da Saúde (DGS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Têm sido reportados casos em que a lotação máxima de dois terços da capacidade não é respeitada, nem é fiscalizada a obrigatoriedade de uso de máscara. Se já presenciou situações semelhantes, pode usar a plataforma Queixas dos Transportes para registar as suas reclamações e obter uma resposta mais célere na resolução de conflitos com operadores de transporte que não cumpram as suas obrigações.

Tem usado os transportes públicos? Que cuidados adicionais tem tido? Que dificuldades tem sentido?
Partilhe as suas questões e experiências nos comentários. 

Equipa DECO PROTESTE

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Transportes públicos da comunidade Mobilidade

Comentários

Seja o primeiro a comentar