última atualização: 27/08/2020

Bicicleta e trotinete conquistam novos “exploradores” da cidade

Pedalar para o trabalho na Beira Alta

Fernando Correia tem 56 anos e um “novo amor”. Desde dezembro do ano passado, quando recebeu em casa a nova bicicleta elétrica, já pedalou 800 quilómetros. Este professor do ensino secundário resolveu investir 1443 euros numa e-bike da Neomouv. A decisão, garante, compensou: “É muito agradável andar de bicicleta. Temos muitas horas de sol e tempo seco que podemos aproveitar. Não há engarrafamentos de trânsito, consigo circular em caminhos alternativos, encurtando o percurso em tempo e distância e é ambientalmente mais sustentável e fisicamente mais benéfico para a saúde.”

Fernando, que vive em Viseu, recorre à bicicleta para ir trabalhar e até para ir às compras, transportando-as no suporte de carga atrás do selim. À exceção do trajeto casa-trabalho, que é “praticamente plano”, os percursos são típicos da Beira Alta, com “grandes desníveis”, mas isso não é um problema: “a assistência elétrica permite um uso mais generalizado, em deslocações mais longas e em percursos mais acidentados e com maiores inclinações.”

E a manutenção? “Limito-me a verificar a pressão dos pneus e a carregar a bateria.”

Deslizar numa trotinete (mesmo em trajetos acidentados)

Sandra Martins procurava uma trotinete porque tinha muita dificuldade em conseguir estacionamento. "Fiz contas e achei uma boa ideia, pois vivo a dois quilómetros do trabalho”. A pandemia também influenciou a decisão. “Com a covid-19, seria uma boa solução ecológica. Poupo tempo e poupo o ambiente”. Todos os dias, vai na sua Xiaomi Mi Scooter M365 – que lhe custou 357 euros – para o trabalho. E também a usa nos tempos livres, nos mais variados trajetos, acidentados ou não. O carro ficou para trás, só o usa ao fim de semana ou para viagens longas. 

Compensa? "Muito. Pelo facto de não andar às voltas para estacionar. E também poupo em combustível.”

Se procura alternativas ao carro ou aos transportes públicos económicas e sustentáveis, veja os descontos que a DECO PROTESTE negociou para a aquisição de bicicletas, motas e trotinetes elétricas.


No regresso às aulas e ao trabalho, pondera novas formas de mobilidade? Se já deu este salto, partilhe a sua experiência nos comentários e ajude mais pessoas a fazer a transição. 

Equipa DECO PROTESTE

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Bicicletas e trotinetes da comunidade Mobilidade

Comentários

Seja o primeiro a comentar