última atualização: 27/08/2021

Como bloquear o envio do excedente de energia solar à rede

Boa tarde 

Aderi a vários meses ao plano de energia solar da EDP com a aquisição de vários paines e actualmente envio centenas de KWs a rede sem qualquer compensação financeira.

Tendo tentado por diversas vias conseguir vender o excedente de produção, mas a e-redes não da resposta (já abri uma reclamação), situação essa que me parece bastante conveniente, uma vez que recebem o meu excedente de produção solar nos meses de verão complemente "a borla".

Existe alguma forma de limitar/bloquear o envio de excedente de produção à rede ?

 

Obrigado, 

J. Morais

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Produzir eletricidade da comunidade Energias Renováveis

14 Comentários

Filtrar por :
Faça login para aceder a este conteúdo. 
24/08/2021

O MONTANTE MENSAL QUE RECEBO DA ELECTRICIDADE QUE PRODUZO NOS MEUS PAINEIS SOLARES COMÇOU POR SER QUASE 200 EUROS E AGORA NÃO CHEGA A 30 EUROS MENSAIS

Faça login para aceder a este conteúdo. 
18/08/2021

Olá viva podem-me ajudar em saber o artigo na lei onde diz que o vendedor de bens ou serviços é quem tem que responder ao cliente em caso de reclamação e não uma outra entidade. Obrigado

Faça login para aceder a este conteúdo. 
27/08/2021
, Respondeu:

Olá

De acordo com o

DL 67/2003, 8 abril

Artigo 2.º
Conformidade com o contrato
1 - O vendedor tem o dever de entregar ao consumidor bens que sejam conformes com o contrato de compra e venda.

Artigo 6.º
Responsabilidade directa do produtor
1 - Sem prejuízo dos direitos que lhe assistem perante o vendedor, o consumidor que tenha adquirido coisa defeituosa pode optar por exigir do produtor a sua reparação ou substituição, salvo se tal se manifestar impossível ou desproporcionado tendo em conta o valor que o bem teria se não existisse falta de conformidade, a importância desta e a possibilidade de a solução alternativa ser concretizada sem grave inconveniente para o consumidor.

Aconselhamos ainda a expor o seu caso ao nosso serviço de informação, através do 218 410 858 (dias úteis, das 9 às 18 horas). Obrigado.

Faça login para aceder a este conteúdo. 
18/08/2021

Olá viva podem-me ajudar em saber o artigo na lei onde diz que o vendedor de bens ou serviços é quem tem que responder ao cliente em caso de reclamação e não uma outra entidade. Obrigado

Faça login para aceder a este conteúdo. 
23/07/2021

Eu vou aderir a galp e o que eles me responderam em relação a venda do excesso foi:
Para vender o excedente à rede tem de abrir atividade nas finanças, podendo fazê-lo com o nº 35113 do Código de Atividades Económicas (CAE), ou com o nº 1519 do código de IRS (CIRS).
A energia excedente pode ser comprada pelo comercializador de ultimo recurso (CUR) (www.erse.pt/.../ ou por outro comercializador do mercado livre. Poderá consultar a ACEMEL (Associação de comercializadores de energia no mercado liberalizado) (https://acemel.pt/) e obter a informação relativa aos comercializadores que neste momento estão a comprar energia proveniente das UPAC`S.
O seu valor é calculado tendo em consideração a indexação do preço de energia elétrica no mercado diário (OMIE) com uma penalização sobre esse valor. O valor dessa penalização depende da entidade que está a comprar a energia, e pode ser um valor fixo ou um valor indexado ao preço de compra da energia. O valor do preço fixo anda entre os 0,035€/kWh e os 0,039 €/kWh, sendo que o valor indexado pode variar entre 0,005€/kWh e 0,009 €/kWh.
Para que se possa vender o excedente, é necessário: 1) a UPAC tem de estar registada na DGEG, 2) ter contador bidirecional, 3) ter um CPE (código de ponto de entrega) de produção à semelhança do seu CPE de consumo e 4) contrato de venda de energia.
O primeiro passo é entrar em contacto com a DGEG pois é esta Entidade a responsável pelo registo e coordenação de todas as unidades de produção para autoconsumo e de pequena produção. Colocamos aqui o link do site da DGEG com os contactos: www.dgeg.gov.pt/. Também poderá aceder ao antgo SERUP (agora Portal do Autoconsumo) aqui: http://apps.dgeg.gov.pt/DGEG/.
As unidades de produção em autoconsumo (UPAC) estão sujeitas a um registo no site da Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG) ,apenas é necessária uma Mera Comunicação Prévia (MCP). Após esse registo ser efetuado, a DGEG informa a E-Redes e é feita a troca do contador existente por um contador bidirecional, cujos custos estão definidos na diretiva nº 1/2021 da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE)  Poderá cosultar os valores de troca de contador junto com a E-Redes.
Assim que tiver uma MCP, deverá consultar com a DGEG quais os procedimentos a seguir de modo a conseguir registar a sua UPAC corretamente ,pagar as taxas e esperar que a DGEG regularize a sua UPAC enquanto UPAC com venda de excedente à rede. Posto isto, deverá negociar com um operador de rede a compra do excedente e colocar a UPAC em funcionamento.
Lista de CURs : www.erse.pt/.../

Faça login para aceder a este conteúdo. 
25/07/2021
, Respondeu:

Boa tarde Sr. Mauro Pereira,

Agradecemos a partilha da informação com a comunidade. Alerto para o facto de que garantia de 25 anos para os microinversores (marca Enphase), apenas ser possível com a aplicação do equipamento “Envoy-S Metered”. Verifique se a empresa que lhe está a propor o sistema de produção de energia inclui este equipamento.

Com os melhores cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Melhor resposta
Faça login para aceder a este conteúdo. 
19/07/2021
Melhor resposta

Boa tarde,

Para que o passamos ajudar necessitamos que nos envie uma descrição do equipamento que foi instalado, nomeadamente:

  • Quantidade, potencia, marca e modelo dos painéis fotovoltaicos;
  • Quantidade, potência, marca e modelo dos microinversores.
  • Local onde foi interligada a UPAC (tomada ou quadro elétrico principal)

 Relativamente à questão da venda da energia excedente injetada na RESP, proveniente de uma UPAC, pode fazer o contrato com o comercializador de ultimo recurso (CUR) https://www.erse.pt/eletricidade/funcionamento/comercializacao/#comercializadores-de-ultimo-recurso-(cur) ou com outro comercializador do mercado livre. Poderá consultar a ACEMEL (Associação de comercializadores de energia no mercado liberalizado) e obter a informação relativa aos comercializadores que neste momento estão a comprar energia proveniente das UPAC`S.

O seu valor é calculado tendo em consideração a indexação do preço de energia elétrica no mercado diário (OMIE) com uma penalização sobre esse valor. O valor dessa penalização depende da entidade que está a comprar a energia, e pode ser um valor fixo ou um valor indexado ao preço de compra da energia. O valor do preço fixo pode variar entre os 0,030€/kWh e os 0,045 €/kWh.

Para que se possa vender o excedente, é necessário: 1) a UPAC tem de estar registada na DGEG, 2) ter contador bidirecional, 3) ter um CPE (código de ponto de entrega) de produção à semelhança do seu CPE de consumo e 4) contrato de venda de energia.

Deve solicitar à EDP a referência da sua MCP (mera comunicação prévia) e respetivos acessos (user e password) e confirmar com os mesmos se já lhe foi atribuído um CPE de produção. Depois desta situação estar resolvida pode entrar em contacto com a ACEMEL afim de estabelecer um contrato de venda de energia com um dos seus associados.

Existem formas de bloquear a injeção na rede, mas irá obrigar a que coloque um sistema de monitorização de energia da mesma marca dos inversores e faça a leitura da produção e consumo da sua instalação elétrica. Quando nos enviar a marca do inversor, podemos verificar qual o modelo que melhor se aplica ao seu caso.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
23/07/2021
, Respondeu:

Boa tarde Pedro,
Na sequência da nossa conversa, envio-lhe abaixo as especificações técnicas dos equipamentos instalado pela EDP.
Espero que essa informação possa ser útil para identificar a melhor solução para inibir o envio do excedente de produção para rede.

Fico aguardar uma breve resposta.

Obrigado,

J. Morais

PAINEIS FV (4 Paineis)
- AXITEC POLI 60 CELULAS, 280W
AC 280P/60S

NVERSORES
- Micro Inversor Enphase, IQ7 (Mono)
- SMA, Sunny Boy 2.0, SB2.0-1VL-40 (Mono)
- SMA, Sunny Boy 3.0, SB3.0-1AV-41 (Mono)
- SMA, Sunny Tripower 3.0, STP3.0-3AV-40 (Trif)

Melhor resposta
Faça login para aceder a este conteúdo. 
25/07/2021
, Respondeu:
Melhor resposta

Boa tarde,

No caso dos inversores, descreve duas marcas e dois tipos de soluções. A solução dos microinversores normalmente é utilizada até aos 6 painéis e a partir desse numero são utilizados inversores centrais, que podem ser monofásicos ou trifásicos. Ambas as marcas possuem equipamentos de monitorização, que lhe irão permitir a injeção zero, assim como outras funções como por exemplo consumo elétrico da instalação, energia injetada, interligação com as baterias, etc. No caso da central dos microinversores, permite também saber qual a produção de cada painel. Esta informação é extremamente importante, pois se um dos painéis começar a reduzir a sua produção, facilmente consegue ser identificado e substituído, caso esteja em garantia.

Tendo em conta que tem aplicado 4 painéis fotovoltaicos, em principio foram instalados 4 microinversores. Para que possa efetuar a injeção zero, deve adquirir a central da marca, que tem o nome de “Envoy-S Metered”. Para além de todas as outras funções e se for feito o registo no site da marca, permite uma garantia de 25 anos. Deve também solicitar à empresa onde adquiriu o sistema, o numero de série dos micoinversores. Caso não lhe seja fornecido, tem de desmontar os painéis e obter essa informação no próprio microinversor.

Para que possa saber o consumo elétrico da sua casa, a central tem de ser instalada junto do quadro elétrico e posteriormente ser colocado o transformador de intensidade na fase de alimentação ou no caso de ser trifásico, também na fase 1 e fase 2. No caso da produção estar a ser injetada no quadro elétrico principal, então pode também colocar um transformador de intensidade nesse cabo e assim consegue obter a informação da produção solar. A comunicação com os microinversores é feita por “wireless” e sendo assim não tem de passar nenhum cabo desde essa central até aos microinversores. Para a visualização dos dados obtidos e ajuste do funcionamento dos equipamentos, pode utilizar a aplicação da marca, que tem o nome de “Enlighten”.

No caso da marca SMA, tem de adquirir o equipamento “E-meter” ou o “sunny home mannager”. A diferença do valor entre eles, não é muito grande e compensa mais a aquisição do segundo modelo. Em ambos os casos, pode utilizar transformadores de intensidade (acima de 60A) ou simplesmente passar os cabos de alimentação no interior do equipamento. Posteriormente através do “sunny Portal” pode visualizar a produção e consumo elétrico e fazer a injeção zero, entre outras funções.

Aconselho a uma consulta mais detalhada nos sites de ambas as marcas.

Estamos ao seu dispor para esclarecer mais dúvidas que possam surgir.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
20/07/2021
, Respondeu:

Olá Pedro,
Obrigado pela rápida resposta. Como posso obter essa informação, uma vez que toda a solução dos paines solares foi instalada pela EDP ? Não me foi enviado qualquer informação relativamente a marca/modelo dos paines bem como dos inversores.

Cumprimentos,
J. Morais

Faça login para aceder a este conteúdo. 
21/07/2021
, Respondeu:

Bom dia J.Morais a mim esta acontecer a mesma coisa, temos que reclamar com a EDP para ver se isto vai a bom porto.
Para vender o excedente tem que registar os painéis solares na DGEG e os documentos para fazer o registo são: ESQUEMA UNIFILAR,TERMO DE RESPONSABILIDADE DO INSTALADOR,MARCA E POTENÇIA DOS INVERSORES,MARCA E POTENÇIA DOS PAINEIS SOLARES.
Depois de fazer o registo tem que ligar para a E-REDES para pedir o documento a comprovar que na sua morada existe instalado um contador bi.direcional para assim conseguir fazer a venda da energia excedente.
Eu já contactei varias empresas para me fazerem a compra do excedente e os resultados nao são bons porque há poucas empresas a comprar o excedente, a única empresa que me deu luz verde para a compra do excedente foi a LUZBOA.
Espero ter ajudado alguma coisa neste caso mas se quiser mais algum esclarecimento pode-me contactar para luciano.laranjo@hotmail.com.
Boa sorte um abraço
Luciano

Faça login para aceder a este conteúdo. 
22/07/2021
, Respondeu:

Olá Luciano,
Obrigado pela resposta e por facultar o seu contacto directo.
Vou entrar em contacto consigo para saber melhor o que fazer nesta situação.
Obrigado,
J. Morais

Faça login para aceder a este conteúdo. 
23/07/2021
, Respondeu:

Nao tem que agradecer e com o apoio da DECO a ver se levamos isto a bom porto.
Um abraço
Luciano

Faça login para aceder a este conteúdo. 
23/07/2021
, Respondeu:

Boa tarde Pedro,
Na sequência da nossa conversa, envio-lhe abaixo as especificações técnicas dos equipamentos instalado pela EDP.
Espero que essa informação possa ser útil para identificar a melhor solução para inibir o envio do excedente de produção para rede.

Fico aguardar uma breve resposta.

Obrigado,

J. Morais

PAINEIS FV (4 Paineis)
- AXITEC POLI 60 CELULAS, 280W
AC 280P/60S

NVERSORES
- Micro Inversor Enphase, IQ7 (Mono)
- SMA, Sunny Boy 2.0, SB2.0-1VL-40 (Mono)
- SMA, Sunny Boy 3.0, SB3.0-1AV-41 (Mono)
- SMA, Sunny Tripower 3.0, STP3.0-3AV-40 (Trif)

eu disclaimer

O projeto que deu origem a esta comunidade recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº749402. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.