última atualização: 27/09/2021

Equipamento de medição da energia injetada na rede

Boa tarde,

No dia 10 do corrente mês a ei energia veio instalar os paineis fotovoltaicos que tinha adquirido para produção de energia para autoconsumo.

Um dia ou dois depois da instalação recebi um email da E- Redes (que por acaso tinha verificado que um colaborador dessa empresa andava pela localidade a «passear» pelas ruas por essa altura, mas não prestei atenção) a dizer que a Unidade de Produção para Autoconsumo (UPAC) obriga a que o equipamento de medição registe a energia injetada na rede através de telecontagem. De acordo com a legislação em vigor, a UPAC tem de ter um equipamento de medida da energia adequado para registo quer da energia consumida como cliente, quer da energia injetada como produtor, em períodos de contagem de 15 minutos. Assim, será necessário adequar o seu equipamento de medida da energia. Ficará instalado um único equipamento (bidirecional) e a comparticipação da aquisição desse equipamento é da responsabilidade do autoconsumidor.

Gostaria de saber se realmente é necessário essa instalação desse equipamento.

Obrigada

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Produzir eletricidade da comunidade Energias Renováveis

12 Comentários

Filtrar por :
Faça login para aceder a este conteúdo. 
22/04/2021

Caso a UPAC tenha uma potência superior a 4kW, é obrigatório a instalação de um contador de produção. Mas não será este o caso!
Sendo a UPAC com potencia inferior a 4kW,
é conveniente que a E-redes faça a parametrização ou alteração do seu atual contador de consumo. Essa alteração tem como beneficios:
1) Poder fazer a venda dos excedentes
2) Beneficiar de uma "almofada" de 15min para a contabilização dos saldos de produção e consumos, ou seja pode aproveitar mais energia autoconsumida.

Cumprimentos
José Alves

Faça login para aceder a este conteúdo. 
27/04/2021
, Respondeu:

Olá, José,
Bom dia. 

Não é apenas uma questão de ser "conveniente". Acima de 350W tem de ser feita a mera comunicação prévia no site da DGEG e isso implica a parametização do contador ou a sua substituição.

Obrigado, 
Equipa Energias Renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
22/03/2021

Boa tarde,

Após o registo da Unidade de Produção de energia em autoconsumo (UPAC) no site da DGEG, os contadores existentes são trocados por novos equipamentos que permitem a contagem de 15 em 15 minutos. O registo é efetuado pela empresa que executou a instalação ou por um técnico de instalações elétricas, ambos reconhecidos pela DGEG.

O operador da rede fica responsável por disponibilizar ao comercializador da IU do autoconsumidor individual, tanto o consumo medido, como o excedente injetado na RESP, caso o mesmo tenha contrato de venda do excedente.

Relativamente aos custos na substituição do contador e consultando o site da E-redes (https://www.e-redes.pt/pt-pt/unidades-de-producao-para-autoconsumo), podemos visualizar a seguinte informação:

 “….. Encargos com os equipamentos de medição

No caso das instalações Baixa Tensão Normal (BTN), e apenas quando se encontra planeada pelos operadores de rede a instalação na Instalação de Utilização (IU) de um equipamento de medição inteligente, no prazo máximo de 12 meses a contar da data do respetivo pedido de instalação, os operadores das redes são responsáveis pelos encargos associados à aquisição do equipamento de medição no ponto Contagem Consumo/Produção. Se o autoconsumidor quiser antecipar a substituição do referido equipamento, poderá fazê-lo, assumindo os encargos associados à aquisição do equipamento de medição.
Quando não se encontra planeada pelos operadores das redes a instalação na IU de um equipamento de medição inteligente, os autoconsumidores são responsáveis pelos encargos associados à aquisição do equipamento de medição a instalar no ponto de Contagem Consumo/Produção, e caso optem por adquirir o equipamento junto do respetivo operador de rede, aplica-se o preço regulado definido pela ERSE……”

Pode-se também visualizar no site as datas e os locais onde os contadores vão ser substituídos.

Consulte os Concelhos e Freguesias abrangidos pelo Plano de 2021.

Consulte os Concelhos e Freguesias abrangidos pelo Plano de 2022.

Ao analisar esta informação, não é necessário qualquer pagamento pela substituição do contador, desde que esteja prevista a substituição do mesmo pela E-redes num período que pode ir até 1 ano.

Se o cliente desejar antecipar a troca do equipamento, a carta que normalmente é enviada pela E-Redes apenas dá duas opções:

Opção 1.1 - A E-redes procede à troca do contador existente por um contador bidirecional, cujos custos estão definidos na diretiva nº 1/2021 da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) e são os seguintes: contadores monofásicos – 79,99€ + IVA e contadores trifásicos – 115,39€ + IVA.

Opção 1.2 - Aquisição do equipamento bidirecional junto de outra entidade, de acordo com os requisitos de interoperabilidade aplicáveis aos equipamentos de medição, desde que conste da lista de equipamentos de medição qualificados. A instalação e parametrização deste equipamento será realizada pela E-redes, sem qualquer custo adicional.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
31/05/2021
, Respondeu:

Boa noite,

De acordo com o exposto, o pagamento da substituição do contador é devido no caso em que não esteja “planeada pelos operadores das redes a instalação na IU de um equipamento de medição inteligente no prazo de 12 meses”.

Sendo assim, parece-me que este critério do pagamento da substituição do contador (ou não) não garante a igualdade de tratamento entre cidadãos, o que me parece injusto. Com efeito, o pagamento ou não pagamento está dependente de uma lista publicada pelos operadores da rede, sendo este critério totalmente alheio aos cidadãos, pelo que o assumir desta despesa baseia-se numa questão de ter “sorte” (ou não) de estar planeada a substituição dos contadores na freguesia do alojamento num prazo de 12 meses. Acresce ainda que, de acordo com informação consultada, a substituição dos contadores irá ser realizada para todos os clientes no país.

Dito isto, questiono a legalidade deste critério uma vez que implica um tratamento diferenciado dos cidadãos, não sendo garantida a igualdade entre os cidadãos.

Cumprimentos,
Daniela Castro

Faça login para aceder a este conteúdo. 
13/08/2021
, Respondeu:

Boa noite,
Sou completamente de acordo com a Daniela Castro, mesmo assim, depois de nós pagarmos os custos com a mudança para os contadores bidireccionais, quando chegar a altura de os operadores colocarem este distos contadores na nossa zona gratuitamente, este valor que nós pagámos será devolvido!?

Cumprimentos
Paulo Soares

Faça login para aceder a este conteúdo. 
18/08/2021
, Respondeu:

Boa tarde Sr. Paulo,

Foi solicitado um esclarecimento sobre esta situação às entidades competentes e assim que obtivermos a sua resposta partilhamos com a comunidade.

Através de contacto com a E-redes fomos informados que a partir do momento em que se antecipa a substituição do contador, não será devolvido o valor pago.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
26/08/2021
, Respondeu:

Boa noite a todos e agradeço os esclarecimentos.
Continuo com uma dúvida: no caso de a instalação ser de 1,28kW (a minha situação), tenho na mesma a obrigatoriedade de aquisição do equipamento?
Cumprimentos,
Sara

Faça login para aceder a este conteúdo. 
31/08/2021
, Respondeu:

Bom dia Sr.ª Sara,

Sim, existe a necessidade de um contador bidirecional nas unidades de produção em autoconsumo (UPAC´S). Caso não seja colocado, a energia injetada na rede elétrica pode ser considerada como consumo, o que irá implicar um aumento do valor da sua fatura de eletricidade.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
16/09/2021
, Respondeu:

Não existe discriminação uma vez que o autoconsumidor suporta sempre o custo do novo equipamento quando o pretende instalar no seu próprio calendário. O custo com o novo contador só é suportado pelo ORD caso esteja prevista a instalação nos próximos 12 meses e o autoconsumidor não pretenda antecipar essa instalação (artº 25º nº2, Regulamento nº 8/2021 da ERSE)

Faça login para aceder a este conteúdo. 
24/09/2021
, Respondeu:

e onde é legislado a informação acima pelo modelador, onde indica que : "a energia do produtor pode ser considerada como consumo" e faturada pela entidade?
Um produtor oferece energia à rede gratuitamente, e ainda a paga na fatura da luz? de que forma isso pode ser legal?
Os contadores digitais contam como positivo a energia entregue na rede?

Faça login para aceder a este conteúdo. 
24/09/2021
, Respondeu:

E quando o autoconsumidor não quer instalar no seu próprio calendário? Se pretender esperar que a entidade o faça, existe alguma contraordenação a ele imputada?

Faça login para aceder a este conteúdo. 
27/09/2021
, Respondeu:

Boa tarde,

Aconselho que envie um email ou carta registada à E-redes a indicar que pretende aguardar pela data prevista para a substituição do contador e verifique aquilo que lhe respondem. Se possível partilhe com a comunidade essa informação.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

eu disclaimer

O projeto que deu origem a esta comunidade recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº749402. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.