última atualização: 06/05/2022

Equipamento de medição da energia injetada na rede

Boa tarde,

No dia 10 do corrente mês a ei energia veio instalar os paineis fotovoltaicos que tinha adquirido para produção de energia para autoconsumo.

Um dia ou dois depois da instalação recebi um email da E- Redes (que por acaso tinha verificado que um colaborador dessa empresa andava pela localidade a «passear» pelas ruas por essa altura, mas não prestei atenção) a dizer que a Unidade de Produção para Autoconsumo (UPAC) obriga a que o equipamento de medição registe a energia injetada na rede através de telecontagem. De acordo com a legislação em vigor, a UPAC tem de ter um equipamento de medida da energia adequado para registo quer da energia consumida como cliente, quer da energia injetada como produtor, em períodos de contagem de 15 minutos. Assim, será necessário adequar o seu equipamento de medida da energia. Ficará instalado um único equipamento (bidirecional) e a comparticipação da aquisição desse equipamento é da responsabilidade do autoconsumidor.

Gostaria de saber se realmente é necessário essa instalação desse equipamento.

Obrigada

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Produzir eletricidade da comunidade Energias Renováveis

31 Comentários

Filtrar por :
Faça login para aceder a este conteúdo. 
25/04/2022

Estou a construir uma casa com painéis solares
Conclusão aprox. Julho 2022
O sistema tem 17,6 kW de energia solar
2 inversores Deye SUN-8K-SG04LP3 com sensores trifásicos de 16 kW e armazenamento de baterias de 40 kWh.
O que preciso de fazer com o electricista para certificar o sistema e obter um contador de energia que conte electricidade em ambas as direcções?
A ligação da casa é trifásica

Faça login para aceder a este conteúdo. 
06/05/2022
, Respondeu:

Bom dia,

 

Em primeiro lugar tem de ser criada uma “Nova entidade de autoconsumo” no site da DGEG (https://apps.dgeg.gov.pt/DGEG/entidade/entidade.jsp).

A criação dessa entidade pode ser feita por si e posteriormente deve fornecer os dados do user e password ao técnico de instalações elétricas.

 

Posteriormente o técnico efetua o registo, onde coloca as seguintes informações:

  • Quantidade e potência dos painéis fotovoltaicos;
  • Quantidade, potência, marca, modelo e numero de série dos inversores;
  • Marca e modelo do contador totalizador de energia produzida, assim como o modelo do Modem e numero do cartão de dados que tem de ser adquirido por si. O equipamento a ser colocado tem de estar certificado.
  • Esquema unifilar da instalação;
  • Termo de responsabilidade.

Notas:

- Inversor a ser aplicado tem de estar na lista de inversores certificados, disponível em: https://www.dgeg.gov.pt/pt/areas-setoriais/energia/energia-eletrica/producao-de-energia-eletrica/producao-descentralizada-autoconsumo-e-upp-mp-mn/bolsa-de-equipamentos/

- Coloque que o sistema pode injetar energia na rede para que lhe seja atribuído um Código Ponto de Entrega (CPE) de produção, que possibilita a venda de excedente de na RESP.

 

Após o registo, a informação é enviada para a E-redes que verifica se o contador de consumo é bidirecional e se consegue comunicar as leituras. Caso seja necessário é substituído.

 

Relativamente à aquisição das baterias, as mesmas podem ser aplicadas numa fase posterior, por forma a verificar no inicio quais os consumos elétricos que a casa tem e qual a energia excedente que pode ser armazenada nas baterias.

Este “upgrade” é fácil, pois toda a instalação fica preparada para este tipo de ligação, visto os inversores serem híbridos.

 

Ao seu dispor para qualquer esclarecimento adicional,

 

Com os melhores cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
11/04/2022

Bom dia,
Em finais do ano passado instalei uma UPAC com capacidade de produção de 1,5KHh. Durante o inverno toda a produção foi consumida, mas, com a chegada da primavera, verifico que uma parte do que produzo vai para a rede.
Recorrendo ao site da E-Redes verifico, no entanto, que há períodos de cerca de 4 horas em que estou a injetar energia na rede, mas, ao mesmo tempo, estou a consumir da rede. Isto causa-me algumas dúvidas porque, sendo a leitura em períodos de 15 minutos até aceito que num período de transição injete e consuma ao mesmo tempo, mas, se estou a injetar energia na rede durante longos períodos, sem interrupção, em meu entender, não deveria estar a consumir dessa mesma rede nesta janela temporal.
Outra dúvida que tenho: sendo a leitura feita em períodos de 15 minutos isto significa o quê? Que se eu atingir um pico de, por exemplo 4 Kwh mum minuto, todo o período de 15 minutos é faturado por aquele pico ou, toda a energia consumida naquele período é diluída e dá uma média de consumo.
Muito agradecia que alguém, com conhecimentos no assunto, me esclarecesse, ou então, que tivessem a gentileza de me informar onde posso recorrer para esclarecer estas dúvidas.
PS. Já contatei a E-Redes para me esclarecerem destas dúvidas e, o que fizeram, foi enviar um técnico para verificar o contador.

Faça login para aceder a este conteúdo. 
05/04/2022

Além doque faca parte de instalacao,procuro um equipamento para redundância de aferição e controlo da equipamento instalar ou instalado.Agradeco v sugestão de marca,modelo,e vendedor para minha aquisicao directa.Grato

Faça login para aceder a este conteúdo. 
19/03/2022

Pretendo conhecer e saber como obter o equipamento referenciado no comentário,e seu custo com informação de utilização e necessidade real de o obter

Faça login para aceder a este conteúdo. 
30/03/2022
, Respondeu:

Bom dia,

 

O tipo de equipamento a aplicar depende da solução que tem instalada em sua casa, ou seja se está a fazer a produção de energia por intermédio de microinversores ou inversor central.

 

  • Microinversores

Neste caso existe um equipamento que deve ser colocado junto do quadro elétrico e que irá fazer a medição dos consumos por intermédio de um transformador de intensidade (Ti) , ou seja uma peça que é colocada em redor do cabo de alimentação e envia essa informação para o equipamento por cabo. No caso de se tratar de uma instalação trifásica são colocados três transformadores.

Este equipamento comunica com os diversos microinversores  por “Zigbee” através de uma antena que possui. Desta forma obtêm a informação de cada microinversor, o que permite perceber se o equipamento está a funcionar corretamente ou se eventualmente existe algum painel que tem uma perda de produção.

A ligação à internet pode ser feita por antena ou por cabo, dependendo das marcas e modelos.

Os dados obtidos são visualizados de forma gratuita no portal da marca

 

  • Inversor central

Normalmente todos os inversores já tem ligação à internet por wirless, mas podem ser ligados por cabo se for necessário. O valor da produção é obtido desta forma.

A medição dos consumos pode ser feita colocando o equipamento diretamente no interior do quadro, pois a dimensão é mais reduzida ocupando em média entre 2 a 4 módulos. O cabo de alimentação pode passar no interior deste equipamento ou a leitura ser feita por intermédio de um transformador de intensidade.

A ligação à internet pode ser feita por wirless ou por cabo. No caso dos inversores híbridos normalmente é necessário a ligação de um cabo entre o medidor e o inversor central. Os dados obtidos são visualizados de forma gratuita no portal da marca

 

O custo destes equipamento pode variar entre 250€ a  500€, dependendo das marcas.

 

Envie-nos a descrição da solução que tem instalada para que o possamos ajudar.

 

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
19/03/2022

Peço sugestões:Como e o que devo fazer adquirir p melhor conhecimento dos sistema fotovoltaicos para gerir e controlar os consumos de recepção,gastos e recentes de uma instalacao

Faça login para aceder a este conteúdo. 
23/01/2022

Tendo em conta que a E-Redes está constantemente a alterar os prazos de instalação dos novos contadores, para mais de 12 meses (muito provavelmente, propositadamente), afim do autoconsumidor suportar os custos tendo em conta a crescente adesão aos UPAC, para quando um movimento que coloque este assunto em cima da mesa nos média e inclusive exercer pressão sobre o regulador?
Cumprimentos,

Faça login para aceder a este conteúdo. 
27/01/2022
, Respondeu:

Bom dia,

Se possível envie-nos um email contendo mais informação sobre aquilo que lhe foi comunicado. Faça também uma reclamação à ERSE.

Relativamente à sua instalação é importante que faça a injeção zero, para que se houver energia excedente , não seja contabilizada como consumo.

Esta situação apenas é possível se tiver instalado um medidor de consumos no seu quadro elétrico principal.

Se desejar indique-nos qual o tipo de instalação que possui, com indicação do numero de painéis, sua potência e marca, assim como o numero de microinversores ou inversor central, potência e marca e desta forma poderemos aconselhar o que tem de fazer.

 

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
31/01/2022
, Respondeu:

Hoje recebi um telefonema da E-Redes, a programar para amanhã a substituição do equipamento para um de leitura bidirecional autoconsumo.
Ou seja, eles próprio procederam internamente à alteração sem qualquer intervenção da minha parte!
Já agora, quando se refere à "injeção zero", refere que seria a própria UPAC, a reduzir o excesso de produção, tendo em conta não haver consumo na habitação e assim, não fazer retorno no contador, certo?
Sendo assim deduzo que com a mudança deste contador o problema ficará resolvido!
Cumprimentos,

Faça login para aceder a este conteúdo. 
09/02/2022
, Respondeu:

Bom dia,

A injeção zero é feita pelos equipamentos que foram instalados (microinversores ou inversor central), mas para que isso possa acontecer tem de estar instalado um medidor de consumos no QE principal.

É correto aquilo que diz, ou seja será a própria UPAC irá reduzir a produção e não deixa injetar a energia excedente na rede.

Através do registo da sua instalação elétrica no site da E-redes pode visualizar a energia que foi consumida e injetada na rede (produção). Este registo é feito diariamente.

 Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
11/11/2021

No meu caso, o tempo de espera na mudança do contador é um mês,segundo o que foi aqui dito vou ter que pagar a energia injetada na rede, situação a que sou alheio,

Faça login para aceder a este conteúdo. 
14/11/2021
, Respondeu:

Bom dia,

Sugiro que contacte a E-redes e confirme se a data prevista para troca do seu contador vai ser cumprida ou se existe alguma alteração.

No caso de ter sido colocado um sistema de monitorização da marca do inversor ou microinversores, assim como o equipamento de medição de consumos elétricos no quadro elétrico geral pode ativar a injeção Zero e desta forma tem a certeza que nenhuma energia é injetada na rede elétrica.

Se for possível informe qual a solução que instalou.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
22/04/2021

Caso a UPAC tenha uma potência superior a 4kW, é obrigatório a instalação de um contador de produção. Mas não será este o caso!
Sendo a UPAC com potencia inferior a 4kW,
é conveniente que a E-redes faça a parametrização ou alteração do seu atual contador de consumo. Essa alteração tem como beneficios:
1) Poder fazer a venda dos excedentes
2) Beneficiar de uma "almofada" de 15min para a contabilização dos saldos de produção e consumos, ou seja pode aproveitar mais energia autoconsumida.

Cumprimentos
José Alves

Faça login para aceder a este conteúdo. 
03/12/2021
, Respondeu:

Viva. Sabem indicar se a "almofada" de 15min funciona também como forma de balencear fases? Ou seja, se faz diferencial entre energia injetada e consumida a nivel total (soma das 3 fases).

Faça login para aceder a este conteúdo. 
14/12/2021
, Respondeu:

Boa tarde,

Sim, por exemplo se na fase 1, tiver a injetar 1KW e nas restantes estiver a consumir 500W Fase 2 e 500W Fase 3, não irá ser faturado nenhum valor.

Para que possa acompanhar com maior precisão aquilo que acontece, deve solicitar a ativação da porta HAN do seu contador de energia inteligente. Para proceder a essa ativação consulte: https://www.e-redes.pt/pt-pt/redes-do-futuro-redes-inteligentes/servicos-redes-inteligentes/acesso-porta-serie-de-comunicacao.

Após essa ativação pode ligar um equipamento de medição, e conseguir visualizar a informação que é disponibilizada pelo seu contador, nomeadamente os consumos elétricos e a energia injetada na rede. Um dos utilizadores da nossa comunidade sugeriu o equipamento da marca eot (www.eot.pt).

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
18/02/2022
, Respondeu:

Olá Pedro, sobre isto: "Sim, por exemplo se na fase 1, tiver a injetar 1KW e nas restantes estiver a consumir 500W Fase 2 e 500W Fase 3, não irá ser faturado nenhum valor." - sabe-me dizer onde posso encontrar o modo como esta contagem é feita? Precisava de encontrar uma fonte oficial com essa informação para ajudar os clientes trifásicos a perceber que mais vale instalarem UPACs monofásicas. Obrigado

Faça login para aceder a este conteúdo. 
27/04/2021
, Respondeu:

Olá, José,
Bom dia. 

Não é apenas uma questão de ser "conveniente". Acima de 350W tem de ser feita a mera comunicação prévia no site da DGEG e isso implica a parametização do contador ou a sua substituição.

Obrigado, 
Equipa Energias Renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
20/01/2022
, Respondeu:

Tenho uma UPAC instalada desde 15/10/2021 devidamente registada na DGEG, antes da instalação da referida UPAC a E-REDES tinha previsto a troca do meu contador estacionário Janz, para o 2º trimestre de 2021, devido ao elevado valor cobrado para a troca imediata (cerca de 98€ e o contador nunca seria meu) obtei por esperar pela troca gratuita, após a instalação da UPAC a data prevista passou para o 3º trimestre de 2023. Como no mês de dezembro achei que tinha demasiada luz a pagar, visto desde a instalação da UPAC todos os dias pelas 22h vou ver quanto marca o contador e quanto produzi e aponto tudo. O meu sistema solar indica que em dezembro consumi (no período de faturação) 260kWh, mas 81kWh veio de produção solar ou seja teria 179kWh a pagar acontece que a EDP me faturou 358kWh, realmente esses são os valores apontados por mim, ou seja a E-REDES empresa do grupo da EDP Comercial que é o meu fornecedor de energia não lhe interessa trocar o meu contador, se eu pagar que remédio, se não pagar vão adiando o prazo, como como já vi aqui estão a cobrar a energia produzida por nós como vendida por eles ou então algo de errado há com o meu contador. Se isto continuar para o verão vou pagar 3 vezes mais luz que agora, pois para o verão o sistema de produção irá estar no pico

Faça login para aceder a este conteúdo. 
22/03/2021

Boa tarde,

Após o registo da Unidade de Produção de energia em autoconsumo (UPAC) no site da DGEG, os contadores existentes são trocados por novos equipamentos que permitem a contagem de 15 em 15 minutos. O registo é efetuado pela empresa que executou a instalação ou por um técnico de instalações elétricas, ambos reconhecidos pela DGEG.

O operador da rede fica responsável por disponibilizar ao comercializador da IU do autoconsumidor individual, tanto o consumo medido, como o excedente injetado na RESP, caso o mesmo tenha contrato de venda do excedente.

Relativamente aos custos na substituição do contador e consultando o site da E-redes (https://www.e-redes.pt/pt-pt/unidades-de-producao-para-autoconsumo), podemos visualizar a seguinte informação:

 “….. Encargos com os equipamentos de medição

No caso das instalações Baixa Tensão Normal (BTN), e apenas quando se encontra planeada pelos operadores de rede a instalação na Instalação de Utilização (IU) de um equipamento de medição inteligente, no prazo máximo de 12 meses a contar da data do respetivo pedido de instalação, os operadores das redes são responsáveis pelos encargos associados à aquisição do equipamento de medição no ponto Contagem Consumo/Produção. Se o autoconsumidor quiser antecipar a substituição do referido equipamento, poderá fazê-lo, assumindo os encargos associados à aquisição do equipamento de medição.
Quando não se encontra planeada pelos operadores das redes a instalação na IU de um equipamento de medição inteligente, os autoconsumidores são responsáveis pelos encargos associados à aquisição do equipamento de medição a instalar no ponto de Contagem Consumo/Produção, e caso optem por adquirir o equipamento junto do respetivo operador de rede, aplica-se o preço regulado definido pela ERSE……”

Pode-se também visualizar no site as datas e os locais onde os contadores vão ser substituídos.

Consulte os Concelhos e Freguesias abrangidos pelo Plano de 2021.

Consulte os Concelhos e Freguesias abrangidos pelo Plano de 2022.

Ao analisar esta informação, não é necessário qualquer pagamento pela substituição do contador, desde que esteja prevista a substituição do mesmo pela E-redes num período que pode ir até 1 ano.

Se o cliente desejar antecipar a troca do equipamento, a carta que normalmente é enviada pela E-Redes apenas dá duas opções:

Opção 1.1 - A E-redes procede à troca do contador existente por um contador bidirecional, cujos custos estão definidos na diretiva nº 1/2021 da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) e são os seguintes: contadores monofásicos – 79,99€ + IVA e contadores trifásicos – 115,39€ + IVA.

Opção 1.2 - Aquisição do equipamento bidirecional junto de outra entidade, de acordo com os requisitos de interoperabilidade aplicáveis aos equipamentos de medição, desde que conste da lista de equipamentos de medição qualificados. A instalação e parametrização deste equipamento será realizada pela E-redes, sem qualquer custo adicional.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
20/01/2022
, Respondeu:

A E-REDES alterou a data de 2º trimestre de 2022 para 3º trimestre de 2023 após a instalação da minha UPAC e posso provar pois tenho documentos enviados por eles a dizer a data prevista para o 2º trimestre de 2022, se for ao site e-redes agora dá-me como data prevista 3º trimestre de 2023, ou seja eles querem é dinheiro.

Faça login para aceder a este conteúdo. 
31/05/2021
, Respondeu:

Boa noite,

De acordo com o exposto, o pagamento da substituição do contador é devido no caso em que não esteja “planeada pelos operadores das redes a instalação na IU de um equipamento de medição inteligente no prazo de 12 meses”.

Sendo assim, parece-me que este critério do pagamento da substituição do contador (ou não) não garante a igualdade de tratamento entre cidadãos, o que me parece injusto. Com efeito, o pagamento ou não pagamento está dependente de uma lista publicada pelos operadores da rede, sendo este critério totalmente alheio aos cidadãos, pelo que o assumir desta despesa baseia-se numa questão de ter “sorte” (ou não) de estar planeada a substituição dos contadores na freguesia do alojamento num prazo de 12 meses. Acresce ainda que, de acordo com informação consultada, a substituição dos contadores irá ser realizada para todos os clientes no país.

Dito isto, questiono a legalidade deste critério uma vez que implica um tratamento diferenciado dos cidadãos, não sendo garantida a igualdade entre os cidadãos.

Cumprimentos,
Daniela Castro

Faça login para aceder a este conteúdo. 
13/08/2021
, Respondeu:

Boa noite,
Sou completamente de acordo com a Daniela Castro, mesmo assim, depois de nós pagarmos os custos com a mudança para os contadores bidireccionais, quando chegar a altura de os operadores colocarem este distos contadores na nossa zona gratuitamente, este valor que nós pagámos será devolvido!?

Cumprimentos
Paulo Soares

Faça login para aceder a este conteúdo. 
18/08/2021
, Respondeu:

Boa tarde Sr. Paulo,

Foi solicitado um esclarecimento sobre esta situação às entidades competentes e assim que obtivermos a sua resposta partilhamos com a comunidade.

Através de contacto com a E-redes fomos informados que a partir do momento em que se antecipa a substituição do contador, não será devolvido o valor pago.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
26/08/2021
, Respondeu:

Boa noite a todos e agradeço os esclarecimentos.
Continuo com uma dúvida: no caso de a instalação ser de 1,28kW (a minha situação), tenho na mesma a obrigatoriedade de aquisição do equipamento?
Cumprimentos,
Sara

Faça login para aceder a este conteúdo. 
31/08/2021
, Respondeu:

Bom dia Sr.ª Sara,

Sim, existe a necessidade de um contador bidirecional nas unidades de produção em autoconsumo (UPAC´S). Caso não seja colocado, a energia injetada na rede elétrica pode ser considerada como consumo, o que irá implicar um aumento do valor da sua fatura de eletricidade.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
16/09/2021
, Respondeu:

Não existe discriminação uma vez que o autoconsumidor suporta sempre o custo do novo equipamento quando o pretende instalar no seu próprio calendário. O custo com o novo contador só é suportado pelo ORD caso esteja prevista a instalação nos próximos 12 meses e o autoconsumidor não pretenda antecipar essa instalação (artº 25º nº2, Regulamento nº 8/2021 da ERSE)

Faça login para aceder a este conteúdo. 
24/09/2021
, Respondeu:

e onde é legislado a informação acima pelo modelador, onde indica que : "a energia do produtor pode ser considerada como consumo" e faturada pela entidade?
Um produtor oferece energia à rede gratuitamente, e ainda a paga na fatura da luz? de que forma isso pode ser legal?
Os contadores digitais contam como positivo a energia entregue na rede?

Faça login para aceder a este conteúdo. 
24/09/2021
, Respondeu:

E quando o autoconsumidor não quer instalar no seu próprio calendário? Se pretender esperar que a entidade o faça, existe alguma contraordenação a ele imputada?

Faça login para aceder a este conteúdo. 
27/09/2021
, Respondeu:

Boa tarde,

Aconselho que envie um email ou carta registada à E-redes a indicar que pretende aguardar pela data prevista para a substituição do contador e verifique aquilo que lhe respondem. Se possível partilhe com a comunidade essa informação.

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis

Faça login para aceder a este conteúdo. 
20/01/2022
, Respondeu:

Exato cara Daniela, e não é só ter sorte, pois inicialmente pode pensar-se yupi, o meu vai ser substituído dentro em breve, e depois vai consultar outra vez e a data alterou, no meu caso para mais de um ano e meio a data prevista anteriormente que já era de 9 meses.