última atualização: 21/09/2020

Energia Solar EDP com novas regras. Verdade ou não?

Em agosto de 2020 fui contactado por um comercial da EDP que pretendia verder-me a solução de Energia Solar EDP.

De entre as principais vantagens, salientou 2:

1. Desde março de 2020, a energia que os painéis solares produzirem para além do autoconsumo da minha casa é "depositado" rede e eu receberei um abatimento na fatura da eletricidade correspondente ao "depósito" de energia que foi feito.

2. Redução de 50% numa taxa designada CIEG (Custos de Interesse Económico Geral).

Alguém me sabe dizer se isto é verdadeiro ou quanto de verdade há nisto?

Obrigado,

Cesar Analide

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Produzir eletricidade da comunidade Energias Renováveis

2 Comentários

Filtrar por :
Faça login para aceder a este conteúdo. 
21/09/2020

Bom dia Cesar Analide eu tenho 4 painéis solares da EDP para consumo domestico e a energia que e injetada (a energia que sobra naquela altura de produção) na rede da EDP eles nao me pagam nem um cêntimo que seja.
Disseram-me que se eu quisesse aproveitar essa energia teria que colocar baterias para armazenar essa energia que era injetada na rede da EDP para gastá-la durante a noite.
Espero ter ajudado para mais algum esclarecimento pode-me contactar.
Obrigado pela atenção.
Luciano Laranjo

Faça login para aceder a este conteúdo. 
04/09/2020

Relativamente ao primeiro ponto, para além de poder vender essa energia à empresa SU eletricidade, aconselhamos a contactar a ACEMEL (Associação de Comercializadores de Energia no Mercado Liberalizado) para que o informem de quais as outras empresas que atualmente também estão a celebrar contratos de compra de energia excedente produzida pelas Unidades de Produção de Energia (UPAC´S).

De referir que o valor a receber por KWh produzido é normalmente inferior a € 0,04, ou seja pode solicitar que o informem de qual o valor estimado a receber por mês, tendo em conta a quantidade de painéis aplicados versus o consumo elétrico da instalação.

Relativamente ao segundo ponto, essa informação está prevista no Despacho n.º 6453/2020, que estabelece as condições para a isenção dos encargos correspondentes aos Custos de Interesse Económico Geral (CIEG) que incidem sobre as tarifas de acesso às redes determinadas pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

A equipa Energias Renováveis

eu disclaimer

O projeto que deu origem a esta comunidade recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº749402. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.