última atualização: 04-11-2019

dimensionamento de autoconsumo fotovoltaico

O que me aconselham a fazer para dimensionar o meu consumo energético diurno diário (nº de paineis e potência destes) sendo que permanentemente ou quase, estão ligados os seguintes equipamentos:FrigorificoArca frigorifica2 TelevisõesComputador Portatil2 Boxes de TVCumprimentosVitor Rocha

Junte-se a nós

Esta informação foi útil e ajudou-o? Para apoiar a nossa comunidade, registe-se no site. É gratuito, demora menos de um minuto.

  • Pode perguntar e pedir conselhos
  • ler as contribuições dos nossos membros
  • dar o seu contributo 
  • receber o feedback de um especialista.

Registe-se em DECO PROTESTE para participar.
Entrar ou Registar

Comentários

User name Moderator
Bruno Miguel | Moderador
04-11-2019

Olá Vitor,

Sim é um bom princípio avaliar os seus consumos diurnos para que possa fazer um correto dimensionamento da potência a instalar fotovoltaica.

Saliento que a potência fotovoltaica dimensionada não está relacionada com a soma de todas as potências máximas de cada equipamento mas sim a energia consumida pelos mesmos.

Para sermos rigorosos a instalação de um sistema de monitorização é um elemento que lhe proporcionaria a obtenção destes consumos elétricos durante 24h por dia obtendo um correto dimensionamento.

Sendo este sistema de monitorização um investimento que nem todos estão dispostos a fazer (para ter uma maior consciência dos seus consumos) podemos partir do princípio que tendo um frigorífico e uma arca este é sinal que um sistema de autoconsumo pode ser viável. Se acrescentado outros equipamentos usados diurnamente sendo a habitação frequentada neste horário, podemos dizer que até 500W poderá ser uma boa opção. Evitava custos de standby e funcionamentos durante esse mesmo horário.

Relembro que este dimensionamento deve ser feito de maneira rigorosa e aconselhamos que toda a energia produzida seja na sua totalidade consumida na habitação.

Com os melhores cumprimentos

Equipa Energias Renováveis

eu disclaimer

O projeto que deu origem a esta comunidade recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº749402. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.