última atualização: 28-06-2019

Tudo eléctrico ou continuar também com gas?

Olá,

Comprei um apartamento equipado com gás de botija, o que nāo me agrada. Passar para gás da rede implica convencer a vizinha a também subscrever o serviço, o que pode nāo ser fácil. Penso entāo passar ao tudo eléctrico, com esperança que a instalaçāo de um termo-acumulador melhore igualmente na água quente e reduza o desperdicio de água. Será uma boa ideia do ponto de vista económico e a nível do conforto?

Obrigada

Junte-se a nós

Esta informação foi útil e ajudou-o? Para apoiar a nossa comunidade, registe-se no site. É gratuito, demora menos de um minuto.

  • Pode perguntar e pedir conselhos
  • ler as contribuições dos nossos membros
  • dar o seu contributo 
  • receber o feedback de um especialista.

Registe-se em DECO PROTESTE para participar.
Entrar ou Registar

Comentários

User name Moderator
RICARDO JOSE COIMBRA PAIVA PEREIRA | Moderador
28-06-2019

Cara Amélia,

de facto, a passagem a gás natural seria a opção mais indicada de um ponto de vista de economia de utilização (o gás natural apresenta um custo por kWh que é cerca de metade daquele registado no gás butano ou propano engarrafado) e de conforto de utilização (na medida que não teria o "transtorno" de gerir as garrafas de gás e teria um fornecimento "infinito" e gás natural). Mas, no vosso caso, tal alteração é acompanhada por um investimento na criação e instalação da rede de gás - parece-nos que a zona onde habita é fornecida por gás natural, certo? - e pode ser difícil convencer a vizinha a ir neste sentido.

A opção por sistemas elétricos de produção de água quente sanitárias (AQS) é possível e é uma opção, mas não é aquela que de um ponto de vista dos custos de utilização associados com a energia é a das mais baratas. Aqui, e partindo de um pressuposto que as necessidades de energia (kWh) são as mesmas quer use um esquentador ou um termoacumulador, no caso do termoacumulador terá um custo de cada kWh nivelado com o do gás butano ou propano. Apenas se o termoacumulador for utilizado com uma tarifa bi-horária (e com predominância do seu funcionamento no horário de vazio) é que o custo de cada kWh desce de forma significativa, tornando-se assim quase tão competitivo como um esquentador a gás natural.

Adicionalmente, um termocaumulador apresenta algumas particularidades no seu funcionamento. Não nos indica qual a dimensão do seu agregado familiar, mas deve sempre contar com cerca de 40 litros de AQS por cada membro do agregado. Ou seja, uma família de 4 pessoas necessitará de, pelo menos, um termoacumulador com 160 litros de capacidade. Ora uma unidade desta capacidade ocupa já bastante espaço e terá sempre de verificar se a sua habitação tem espaço para acomodar termoacumuladores com uma pegada dimensional considerável. Aliás, mesmo unidades de 80 litros (ideais para agregados de 2 pessoas) podem já ocupar um espaço significativo (e, por exemplo, não caber no mesmo local onde o esquentador estava previamente instalado).

Outra questão a ter em conta é o próprio principio de funcionamento de um termoacumulador: é um reservatório de água quente. Ou seja, poderá usá-la (no banho, por exemplo) enquanto esta... existir no depósito... Quando acaba, tem de esperar que a resistência a aqueça de novo - operação que, regra geral, demora várias horas. O que queremos com isto dizer é que enquanto num esquentados - que é designado como um sistema de produção "instantâneo" de AQS - existir água e gás, terá sempre água quente na torneira. Num termoacumulador apenas tem aquele volume de água quente disponível para usar. Quando acaba, tem de esperar que aqueça - e esta particularidade é muito importante para perceber se consegue ter o aparelho a operar em tarifa bi-horára, nos períodos apenas de vazio.

Igualmente, terá de se assegurar que a potência contratada da sua habitação é compatível com a necessidade elétrica do termoacumulador - com potências na casa dos 1300 a 2000W. Poderá ter que, no limite, aumentar a potência contratada (aumento do custo fixo mensal na fatura de eletricidade).

Analisem bem a questão da rede de gás natural. Peçam orçamentos e vejam quanto vos custaria a ligação e a instalação/conversão da rede da habitação para gás natural. É que com isto poderão estar a valorizar as vossas propriedades.

eu disclaimer

O projeto que deu origem a esta comunidade recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº749402. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.