última atualização: 23/04/2020

Qual o melhor sistema para aquecer as águas sanitárias?

Boa noite.

Estou neste momento a construir uma moradia na modalidade de chave na mão em que está incluído a instalação de um painel solar duplo juntamente com um termosifão de 300 lts com duas serpentinas para aquecimento das águas sanitárias assim como uma caldeira a pelets para aquecimento central.

A minha dúvida está em se se justifica a aplicação de uma bomba de calor acoplada aos painéis solares, eliminando deste modo o termosifão.

Neste caso eu teria de pagar a diferença de preço entre a bomba de calor e o termosifão, que julgo ser bastante significativa.

Será que se justifica?

O meu agregado é constituído por três pessoas (dois adultos e uma bebé) e a casa tem em projecto uma classificação energética de A+.

Agradeço desde já o vosso feedback.

Obrigado.

Luís Cardoso

19911 Visualizações 16 Comentários 0 Gostar
Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Aquecer água da comunidade Energias Renováveis

16 Comentários

Filtrar por :
Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
19/04/2020

Boa tarde, tenho tentado iniciar uma nova conversa sem sucesso, pois preciso da vossa ajuda com alguma urgência.

Vivo num apartamento e vou renovar a cozinha nas próximas semanas. Tenho um esquentador a gás em casa alimentado por uma botija pequena numa dispensa na cozinha. No prédio onde vivo não há nem aquecimento central nem painéis solares.
Que opções há para o aquecimento de água de forma eficiente prática e com o menor gasto possivel?
Não consigo entender as diferenças entre termoacomuladores (que julgo ser a melhor opção), caldeiras e bombas de água.
Tão pouco a litragem que deveria escolher. Somos 2 adultos e 1 criança.
Com um termoacomulador inteligente teríamos que tomar banho todos seguidos para rentabilizar o consumo?
Preciso de esclarecimento neste assunto.

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
20/04/2020
, Respondeu:

Olá Sérgio,

Um esquentador a gás é um solução eficiente e bastante funcional para a produção de água quente sanitária (AQS). Se corretamente instalado, não existe nenhuma desvantagem na utilização destes equipamentos para a produção de AQS - garantindo que a instalação da rede de gás é a correta e que o aparelho goza das adequadas e necessárias condições de exaustão dos gases queimados.

No prédio não existe a cobertura de gás natural? Já que vai fazer obras, podia aproveitar para instalar gás natural no apartamento - caso o prédio seja fornecido por gás natural. Estaríamos a falar de um custo por kWh no gás natural na casa dos 0,07€, contra cerca de 0,18€ no caso do GPL engarrafado.

Quanto à colocação de um termoacumulador elétrico, deverá sempre contar com 40 litros de capacidade de água quente por cada elemento do agregado. No seu caso, terá de ser um modelo de, pelo menos, 100 litros de capacidade.

Note que o preço do kWh de eletricidade ronda os 0,18€ pelo que não antecipamos um ganho muito significativo nos gastos energéticos da sua habitação. Pode equacionar uma mudança para uma tarifa bi-horária mas para isso tem de garantir que os perfis de utilização de água quente são compatíveis com os horários de vazio - e com crianças pequenas em casa, tal por vezes não é possível.

Como alternativa, estude as bombas de calor para produção de AQS: funcionam a eletricidade mas apresentam rendimentos acima dos 200%. Isto permite consumos muito mais baixos face aos termoacumuladores normais - em média, no perfil M, os termoacumuladores rondam os 1.200kWh anuais vs 600kWh das bombas de calor (ou menos, dependendo da bomba).

Respondendo à sua questão, as três soluções que indica são sistemas de produção de água quente sanitária (as caldeiras permitem também o aquecimento do espaço).

Os termoacumuladores e as bombas de calor (monocorpo) são reservatórios de água (os tais litros de capacidade) e que são aquecidos, no termoacumulador por um resistência elétrica (teoricamente, um watt que entra na resistência, um watt transferido para a água) e na bomba de calor por um circuito frigorífico idêntico ao de um frigorífico ou de um ar condicionado (teoricamente, 1 watt consumido pela bomba de calor permite transportar 2, 3 ou mais watts de energia do exterior para dentro da água). As caldeiras, regra geral, queimam um combustível para aquecer a água (AQS e climatização) e podem ou não ter um armazenamento.

Veja a notícia que temos aqui na Comunidade sobre o Ariston Lydos Hybrid pois pensamos que será adequado, na versão de 100 litros, ao perfil de utilização do seu agregado familiar. Verifique igualmente a questão do gás natural.

Esperamos ter ajudado.

Obrigado,
Equipa Energias Renováveis

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
02/03/2020

Quero comprar um sistema para aquecimento solar de aguas sanitárias de 200 litros , tenho dúvidas qual a marca que me oferece maior eficiência e qualidade. marca e modelo

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
23/04/2020
, Respondeu:

Olá Alexandre,

Poderá consultar no nosso site o teste a sistemas solares térmicos de circulação forçada para conhecer alguma das marcas existentes no mercado. Como é obvio, há muitas mais marcas com produtos do género e recomendamos uma pesquisa alargada por marcas que apresentem produtos e soluções na área do solar térmico.

Deverá, ainda, entrar em contacto com as mesmas, solicitando o contacto de um instalador autorizado para a zona da sua habitação. Este, na sua visita, deverá aferir as condições e requisitos da instalação (inclinação e orientação do telhado, sombreamentos, capacidade do sistema, tipos de sistemas de controlo, integração com outros sistemas de produção de AQS já instalados, qual o sistema de apoio, entre outros).

Por fim, deverá contratar um programa anual de manutenção ao sistema solar térmico: opte por soluções com a marcação Solar Keymark (http://www.estif.org/solarkeymarknew/).

Obrigado,
Equipa Energias Renováveis

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
22/01/2020

Bom dia
Estou a iniciar a renovação de uma pequena moradia (cerca de 100 m2 dividido por dois pisos, datada dos anos 30, com construção em adobe. Pretendo investir em bons isolamentos térmicos e a sua exposição solar é sul-poente. Estava a pensar optar por uma bomba de calor para AQS (o painel solar tornaria muito inestético um telhado tão pequeno) e uma salamandra a pellets para aquecimento dás áreas comuns que ficam em open-space. Tenho, no entanto, algumas dúvidas relativamente a estas soluções. A casa situa-se no Litoral Centro.
Agradeço desde já
Maria do Sameiro Pereira

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
28/01/2020
, Respondeu:

Olá Maria,

Valorizamos a sua intenção de instalar equipamentos com fonte em energias renováveis.Esta comunidade serve todos os consumidores tentando informar da melhor maneira as dúvidas existentes.
Pode partilhar, em pormenor, quais as dúvidas que tem relativamente aos equipamentos propostos?

Obrigado,
Equipa Energias renováveis

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
03/03/2020
, Respondeu:

Boa tarde
As minhas dúvidas prendem-se com o tipo de equipamento adquirir. No que diz respeito à bomba de calor, e uma vez que serão dois utilizadores, que tipo de bomba de calor e quais as dimensões. O mesmo no que se refere à salamandra a pellets; qual as características a que devo estar atenta.
Obrigada

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
12/01/2020

Boas Luis Cardoso.

Eu investi em AC neste momento esta em bom preço e qualidade da para inverno e verão, tem um aquecimento rápido o que poupa muita energia, a instalação e o mais barato. tendo oportunidade instalar painéis solares para ajudar na conta da luz. Foi o que fiz e estou satisfeito. quanto aquecimento de águas instalei sistema painéis solares não estou muito contente só porque já e a segunda bomba de circulação que levou dentro da garantia.

espero ter ajudado
cumprimentos

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
13/01/2020
, Respondeu:

Obrigado Manuel pelo seu testemunho.

Convidamos os membros desta comunidade a partilhar sugestões e experiências sobre este tópico. As vossas informações podem ser úteis para outros consumidores!
Obrigado,

A equipa Energias Renováveis

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
12/01/2020

Boas Luis Cardoso,
Qanto ao aquecimento central eu investi em ar condecionado

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
04/09/2018

Bom dia,
Daqui fala Rui Mendes, tenho uma questão.
Estou a adquirir uma casa construída em 1975 que, como se pode concluir, não tem rede de aquecimento central realizado.
É uma moradia de rés-do-chão, 1º andar e sotão.
Tem uma boa exposição solar e está difícil de saber em que tipo de aquecimento poderia investir, dizendo que os rendimentos para tal são um pouco baixos.
Posso referir que a casa tem sala, cozinha e casa de banho no piso 0, 3 quartos e uma casa de banho no piso 1 e no sotão para já não tem nada mas tem ligação de água.
Já ouvi falar de muitas coisas mas não consigo saber quais são as que mais benefícios podem trazer para o meu agregado familiar, que é constituído por 2 adultos e 2 crianças para já.
Qual o melhor sistema para colocar em minha casa que me traga poupanças e retorno de investimento a curto e médio prazo?
Gás, electricidade, pellets, bailarina, salamandra, gasóleo, solar ou eólica (sistema de autoconsuma)???
Qual deles o melhor sistema, mais barato, mais rentável, de retorno em menos tempo, com maior duração de vida de produto, com manutenção mais económica e mais viável para casa com crianças e potencial de aumento do agregado.
Pensando que já tive várias afirmações de mau desempenho e manutenções avultadas.
Obrigado.

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
05/09/2018
, Respondeu:

Olá Rui,

Antes de responder às suas questões, peço a todos os utilizadores que "comecem uma nova conversa" no grupo de discussão adequado. 

No que se refere às suas dúvidas;

Todas as fontes de obtenção de energia apresentam vantagens e desvantagens, por essa razão, é muito importante definir um perfil que vá de encontro com as características da casa e as necessidades de conforto do agregado familiar.
Começo por perguntar se o prédio tem acesso a todas as fontes de energia que descreveu. Por exemplo, a casa está preparada para o fornecimento de gás natural?


Algumas das tecnologias existentes exigem um espaço que fique reservado para a instalação dos equipamentos. Uma espécie de “casa das máquinas” (área técnica). Existe esse espaço, por exemplo, na cave?


Outras tecnologias podem ser muito eficientes e económicas na utilização, mas a sua instalação pode englobar a aquisição de equipamentos caros, podendo inclusivé não se adaptar ao seu perfil de consumo.

É também importante termos uma primeira impressão sobre a necessidade de aquecer /climatizar a casa? Com que frequência ao dia, em que altura do ano?
Estes dados são essenciais para constituir um perfil aproximado de consumo e assim aconselhar para a tecnologia mais eficiente.

Entretanto, no que diz respeito à casa, deve ter em conta os aspetos construtivos da habitação. Uma casa de 1975, que nunca foi remodelada, poderá ter perdas térmicas consideráveis prejudicando o conforto dos seus utilizadores e um gasto excessivo de energia para a sua climatização. Se for esse o caso, aconselhamos que comece pelo isolamento da casa, nomeadamente, janelas, vedantes, fachadas e, possivelmente, a cobertura da casa.

Com os melhores cumprimentos

Equipa Energias Renováveis

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
28/02/2018

Olá Luís,

Um sistema solar térmico é sempre um sistema que lhe proporciona 70% de energia gratuita para banhos no ano. Neste sentido teria sempre que ter instalado um sistema de apoio para os meses mais frios (30%), tendo que investir em esquentador, resistência elétrica ou termoacumulador, etc. A bomba de calor é realmente a maneira de produção de energia mais eficiente tendo como desvantagem o seu investimento sendo a razão principal para muitas pessoas não investirem nele. Tendo a possíbilidade e/ou mesmo a vantagem de reduzir este investimento tendo um sistema de circulação forçada que optimiza tanto do seu sistema solar como do apoio BC integrado (200L suficiente para 3 pessoas), este pode ser uma boa opção.

Deve verificar a legislação, com o seu arquiteto, de acordo com a obrigatoriedade da utilização de paineis solares, nomeadamente de apenas 1 painel para 200L, compensando com a potência da bomba de calor e/ou caldeira a Pellets.

"3 - Em alternativa à utilização de sistemas solares térmicos prevista no número anterior, podem ser considerados outros sistemas de aproveitamento de energias renováveis que visem assegurar, numa base anual, a obtenção de energia equivalente ao sistema solar térmico." Artigo 29.º Decreto-Lei n.º 251/2015

A minha única dúvida recai sobre a caldeira a pellets. Servirá apenas para aquecimento central ou também de apoio ao AQS. Tanto a BC como a Caldeira a pellets têm consumos muito competitivos daí tentar perceber se é compensador o investimento na BC.

cumprimentos
Equipa CLEAR Portugal

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
03/03/2018
, Respondeu:

Bom dia.
Desde já quero agradecer a sua resposta.
Apesar de perceber pouco do assunto, vou tentar expor as minhas dúvidas:
O que está incluído no orçamento é a solução de painel solar duplo com termosifão de 300lt e caldeira a pellets para aquecimento central e apoio ao aquecimento das águas sanitárias. Neste caso, julgo ser obrigatório a instalação de um depósito com circulação forçada ao invés do termosifão, correcto?
Sendo assim, julgo que o investimento na BC não fará sentido (financeiramente falando, é claro!).
Qual a sua opinião?
Obrigado pelo esclarecimento.
Luís Cardoso.

Melhor resposta
Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
06/03/2018
, Respondeu:
Melhor resposta

Olá Luis,

Sim, neste caso estará bem servido com o apoio caldeira a pellets. Os custos de utilização são igualmente competitivos, pelo que financeiramente não teria retorno do investimento feito numa bomba de calor AQS.

O esquema tradicional de uma instalação de uma caldeira de chão que pode ser a gasóleo ou a pellets, para aquecimento de águas sanitárias e aquecimento central por radiadores engloba todos os equipamentos como circulador, vaso de expansão, etc, com um acumulador 300L (mín), um espaço técnico dentro de casa.

A sua questão em que refere um termossifão levou-me em erro. O que quer dizer é uma circulação forçada com acumulador de 2 serpentinas. Um termossifão tem uma tecnologia de circulação natural em que o acumulador fica no telhado.

Equipa Clear Portugal

Registe-se em DECO PROTESTE para participar. Entrar
01/03/2018
, Respondeu:

Boa tarde.
Desde já quero agradecer a sua resposta.
Apesar de perceber pouco do assunto, vou tentar expor as minhas dúvidas:
O que está incluído no orçamento é a solução de painel solar duplo com termosifão de 300lt e caldeira a pellets para aquecimento central e apoio ao aquecimento das águas sanitárias. Neste caso, julgo ser obrigatório a instalação de um depósito com circulação forçada ao invés do termosifão, correcto?
Sendo assim, julgo que o investimento na BC não fará sentido (financeiramente falando, é claro!).
Qual a sua opinião?
Obrigado pelo esclarecimento.
Luís Cardoso.

eu disclaimer

O projeto que deu origem a esta comunidade recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº749402. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.